tv tribuna

A ressurreição do cacau na Bahia



Cacau - credito Ana Lee

Tratamento especial dado ao cacau superselecionado garante matéria-prima valorizada no mercado internacional

Colheita, seleção, higienização, fermentação, secagem, análises físico-químicas, microbiológicas e de degustação. Este é o ciclo cuidadosamente realizado durante cerca de 20 dias para a obtenção de amêndoas de cacau fino nas fazendas do sul da Bahia. A matéria-prima tem elevado o status da Bahia – e do Brasil – no paladar do mundo quando o assunto é chocolate de qualidade. Prova disso é a crescente demanda pelo mercado especializado, como a alta confeitaria.

Com importantes prêmios acumulados no currículo, o chef Rafael Barros, à frente da confeitaria Opera Ganache, em São Paulo, recentemente decidiu incorporar às suas receitas o chocolate Fazenda Sagarana, do nanoprodutor baiano Henrique Almeida. “Vi de perto o cuidado do produtor. A atenção e carinho com que tudo é feito sem dúvida resulta num produto que pode competir com os importados”, aponta o confeiteiro. Outra autoridade da área que atesta esses predicados é a consultora francesa Chloé Doutre-Roussel, autora do livro The Chocolate Connoisseur. “Há algum tempo produtores da Bahia estão fazendo um trabalho de qualidade na manutenção da fazenda, na secagem e no tostado, e conseguindo um cacau de boa qualidade”, conclui Chloé, que participou, no último mês de junho, junto com o chef Rafael Barros e outros grandes especialistas, da sétima edição do Festival Internacional do Chocolate e Cacau, em Ilhéus.

box_choco
O mercado das amêndoas selecionadas é um universo relativamente novo para os produtores da região. Fortemente abalada pela praga da vassoura-de-bruxa nos anos 90, a cacauicultura no sul da Bahia vem se reinventando. O processo começou há alguns anos, depois da visita de produtores locais ao Salon Du Chocolat de Paris e do contato com o método de produção de chocolate chamado bean to bar (da amêndoa à barra, em livre tradução). “Foi a partir daí que surgiu um movimento de produtores valorizando mais o seu cacau. Alguns deles começaram a produzir o próprio chocolate, mesmo com limitação de equipamentos”, conta o empresário Marco Lessa, idealizador do festival de ilhéus e proprietário da marca de chocolate de origem ChOr.

O interesse de chocolateiros europeus por amêndoas de qualidade do Brasil para a elaboração de chocolate fino na Europa foi gerando o combustível que os cacauicultores baianos precisavam para diversificar seu produto e não depender apenas do desvantajoso mercado de commodities. A arroba de cacau selecionado chega a valer duas vezes mais do que comum. Ângelo Calmon de Sá, um dos maiores produtores do país, contabiliza 72 mil arrobas por ano, sendo 5% de amêndoas selecionadas, vendidas para indústrias como Nestlé e Barry Callebaut. Para Calmon, além da valorização, outra grande vantagem do cacau fino é que “a venda é feita de forma direta, sem intermediários entre o chocolateiro e o produtor”.

Na Fazenda Riachuelo, em Ilhéus, toda a produção de cacau selecionado – 5% das 60 mil arrobas anuais – se transforma em chocolate premium na unidade fabril montada lá mesmo, pelos donos da propriedade. “A ideia inicial era desenvolver tecnologia para produzir cacau fino que pudesse ser comercializado com valor de 3 a 4 vezes do preço da commodity, para exportar para indústrias chocolateiras europeias”, revela Mororó. Entretanto, o resultado foi tão bom que os sócios deram preferência à produção própria e o chocolate Mendoá tem recebido reconhecimento de qualidade e hoje é vendido nos principais empórios gourmets do país.

Desafios
Da produção total de suas três fazendas no sul da Bahia, o empresário João Tavares seleciona 70% das amêndoas para o mercado gourmet. Envia para Bélgica e França 25% do seu cacau fino, enquanto o restante é comercializado para indústrias no Brasil. Entre seus clientes figuram nomes como Nespresso, Nugali (Santa Catarina) e Harald, indústria de São Paulo que mantém a linha especial Unique Bahia 63% Fazenda João Tavares. “Todo o cuidado na produção se justifica pelo preço que conseguimos no produto. O prêmio varia de 70% a 100%. A rentabilidade do cacau convencional é baixíssima”, destaca o produtor. No entanto, Tavares reconhece que o negócio é incipiente. “O mercado interno precisa valorizar mais o chocolate fino, com menos açúcar interferindo no sabor”, desabafa.

Na luta pela valorização do produto, os empresários ganharam como aliada a senadora Lídice da Mata, autora do Projeto de Lei PLS 93/2015, que estabelece um teor mínimo de 35% de cacau nos chocolates produzidos e comercializados no Brasil. “Isso representa uma agregação de valor ao cacau, que antes era exportado de forma bruta e ganha cada vez mais mercado ao ser processado como chocolate. Além disso, precisamos fazer com que o consumidor saiba o que está comprando e tenha acesso ao autêntico chocolate”, justifica.

Seis municípios baianos lideram entre 15 os mais violentos do Brasil

007
Seis municípios da Bahia estão entre os 15 mais violentos do Brasil. Segundo os dados do Mapa da Violência, a cidade de Mata de São João, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), aparece em primeiro lugar com o maior número de homicídios por armas de fogo no país. A pesquisa considera o número de crimes praticados entre 2012 e 2014. Foram 135 casos nesse período no município. Simões Filho (8º), Pojuca (9º), Lauro de Freitas (10º), Itabuna (13º) e Porto Seguro (14º) também aparecem no ranking. No total, 14 dos 15 municípios mais violentos estão no nordeste. A Bahia é seguida por Alagoas, com cinco cidades; Ceará, com duas; e Paraíba, com uma. O município de Ananindeua, no Pará, foi a única exceção. A cidade ocupa a 7ª posição entre os 15 primeiros. O estudo foi elaborado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), uma organização internacional e intergovernamental. No total, dos 417 municípios baianos, 29 aparecem entre os 150 mais violentos. Quando se leva em consideração a porcentagem de cidades por estado, a Bahia caí para a 5ª posição. Alagoas lidera, seguida por Ceará, Sergipe e Espírito Santo. A maioria das vítimas são homens, entre 15 e 29 anos. Em 2014, morreram 30,7 pessoas por 100 mil habitantes na Bahia, o que representa um crescimento de 161,7% entre 2004 e 2014 e de apenas 7,8% em relação a 2013. Os números deixam o estado atrás de Alagoas, Ceará e Sergipe, na região Nordeste. (Correio da Bahia)

Advogado compara pedidos de impugnação de Azevedo e Fernando Gomes




alah
Dr. Alah Góes

O advogado Alah Góes, mestre em Ciência Política e especialista em Direito Eleitoral, concedeu entrevista ao jornalista Oziel Aragão, da Rádio Difusora, para esclarecer sobre os processos que envolvem pedidos de impugnação dos registros de candidatura dos ex-prefeitos Capitão Azevedo (PTB) e Fernando Gomes (DEM). Segundo o defensor, “’Ficha-suja’ só é quem tem condenação transitada em julgado, ou seja, que não caiba mais recurso”.



No caso dos pedidos de impugnação das candidaturas a prefeito do Capitão Azevedo e Fernando Gomes, o que acontece de agora em diante?

Olhe bem, isso é uma coisa até certo ponto esperada. Mais em função de Fernando Gomes, não tanto em relação a Capitão Azevedo. Você pode entrar com ação de impugnação de registro de candidatura daqueles candidatos que têm pendências na Justiça. Que tipo de pendências? Condenação transitada em julgado, condenação onde tenha notas de improbidade, de lesão ao erário. Uma coisa são contas de gestão, rejeitadas pelo TCM [Tribunal de Contas dos Municípios] e que cabe à Câmara de Vereadores julgar. Outra coisa são as contas de convênios de verbas estaduais e verbas federais. Nesse caso, aí sim, Câmara de Vereadores não se mete. Porque não tem competência constitucional para realizar julgamento. Aí o TCE (Tribunal de Contas do Estado) e TCU (Tribunal de Contas da União) emitem não apenas um parecer, mas uma decisão. Se for condenatória, deixa o cidadão inelegível. Partindo dessa premissa, temos a questão que envolve Capitão Azevedo.

 Ele teve contas de gestão rejeitadas…

Ele teve as contas relativas a 2011 com parecer [do Tribunal de Contas] pela rejeição; esse parecer foi recebido pela Câmara de Itabuna, que começou a tramitar não o parecer do TCM, mas o julgamento das contas. Durante o curso, a Câmara não fez as notificações que deveriam ter sido feitas. Onde já se viu fazer um julgamento sem a pessoa ter condições de ser intimada e contrapor aquelas alegações que estavam sendo feitas contra ele. Não houve isso; o julgamento foi feito à revelia de Capitão Azevedo, num processo que, em tese, ele estaria inelegível.

 E agora?

Capitão Azevedo entrou com ação na Justiça aqui em Itabuna, solicitando a anulação daquela sessão por conta não apenas desse vício da falta de citação, mais de uma série de outras irregularidades. O juízo de Itabuna, em liminar, suspendeu aquela sessão  – foi o que possibilitou ele ser candidato a deputado estadual e ter seus votos válidos.

 Essa mesma permissão é o que está servindo também dessa vez?

Mudando o seu entendimento, o juízo daqui, quando do julgamento do mérito, disse que a Câmara agiu de forma correta. Dessa decisão o Capitão Azevedo fez o recurso do nascedouro do processo. Porque o parecer emitido pelo TCM estava todo errado. A Justiça só se mete na parte de procedimento. Ela vai ver se o procedimento de julgamento das contas ocorreu de maneira correta. O rito foi realizado de maneira correta? Se sim, as contas vão estar rejeitadas. Mas não foi feito de maneira correta. Aí se entrou com uma ação anulando o parecer do TCM em Salvador. O juízo da 6ª Vara da Fazenda Pública emitiu uma decisão dizendo que, por conta de todas essas irregularidades que existem desde o nascedouro do processo, se suspende o parecer do TCM e, como consequência, o julgamento realizado pela Câmara. Com essa decisão, Azevedo está livre; porque ele não tem nenhuma outra pendência.

 E com relação a Fernando Gomes, que o Ministério Público pediu a impugnação do registro dele?

A situação de Fernando Gomes é um pouco diferente. Ele realmente teve todas as contas de gestão aprovadas pela Câmara de Vereadores. Outra coisa são as contas de convênios, que se faz uma prestação de contas à parte, que não é juntada às contas globais. Se for da esfera do estado, o Tribunal de Contas do Estado vai fazer um parecer, emitir relatório; se for verba federal, é o Tribunal de Contas da União. No caso de Fernando Gomes, ele havia tido quatro decisões do TCU contrárias à prestação de contas feita por ele. Dessas quatro, ele conseguiu administrativamente demonstrar que em duas a decisão do TCU tinha sido feita de forma ilegal e irregular. É tanto que foram reabertos os prazos. Nas outras duas, o TCU ainda não se manifestou. Como estava nesse período dos registros eleitorais, ele resolveu entrar com ação anulatória na Justiça Federal, aqui em Itabuna, pedindo a suspensão das decisões. A princípio, foi negado e Fernando recorreu através de um Agravo de Instrumento. Enquanto isso, ele pode fazer a sua campanha normalmente. Outra coisa: não basta uma condenação pura e simples; tem que ser um ato doloso, que cause prejuízo ao patrimônio. Para tranquilizar os eleitores tanto de Azevedo como de Fernando Gomes, as campanhas continuam. (…) ‘Ficha-suja’ só é quem tem condenação transitada em julgado, ou seja, que não caiba mais recurso.

Brasil deixou de exportar carnes para 30 países por não preencher um formulário

Brasil deixou de exportar carnes para 30 países por não preencher um formulário
Foto: Divulgação / Governo do Paraná
O Brasil poderia ter aumentando a exportação de carnes do país se não fosse a falta de um único documento preenchido. De acordo com a coluna Radar Online, da revista Veja, o problema foi descoberto durante reunião do atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi, com adidos agrícolas de outros países. No encontro, o chefe da pasta defendeu que gostaria de estreitar relações comerciais com as outras nações, como a ampliação das exportações. Neste momento, o representante da Tailândia teria interrompido Maggi para dizer que adora a carne brasileira, mas que o país não conseguia comprar o produto porque, há cinco anos, espera que o ministério da Agricultura responda um formulário burocrático para liberar exportações. Após a reclamação, Maggi teria descoberto que o mesmo formulário impediu a exportação a outros 30 países, porque a equipe simplesmente não respondeu às solicitações. Segundo a publicação, o governo fará um mutirão para zerar o estoque de pedidos e tentar ampliar as exportações.

Em sessão do impeachment, jornalistas compram pão com mortadela e coxinha

Em sessão do impeachment, jornalistas compram pão com mortadela e coxinha
Foto: Reprodução / Twitter / Portal Jota
Os jornalistas que trabalham na cobertura do julgamento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff têm feito muitas horas extras para acompanhar tudo o que acontece no plenário do Senado. Mesmo assim, parece que não perderam o bom humor. Durante esta sexta-feira (26), dia em que os senadores ouvem as testemunhas de defesa, eles compraram pão com mortadela para o lanche – comida geralmente ligada aos apoiadores da petista. Já nesta quinta (25), quando foram acompanhadas as testemunhas de acusação, compraram coxinhas – alimento ligado ao grupo pró-impeachment. A informação foi divulgada pelo portal jurídico Jota, no Twitter, que ainda fez questão de frisar: “Uma colega pede que esclareçamos sobre o lanche: ‘Se perguntarem quem paga a boca livre, avisa logo que quem paga somos nós, jornalistas’”.

Menina é drogada, estuprada esquartejada na véspera de aniversário de 10 anos

Menina é drogada, estuprada esquartejada na véspera de aniversário de 10 anos
Foto: Reprodução / Twitter
Uma menina de 9 anos foi drogada, estuprada e assassinada na véspera de seu aniversário de 10 anos na cidade de Albuquerque, no Novo México (EUA). De acordo com o “The New York Daily News”, o crime ocorreu na noite desta última terça-feira (23), véspera do aniversário da vítima. A polícia informou que Victoria Martens teve metanfetamina injetada no corpo, sofreu o estupro e depois foi esfaqueada, estrangulada até a morte e esquartejada. A polícia chegou ao local do crime após vizinhos informarem sobre um barulho incomum na casa da família. O corpo da criança foi encontrado enrolado em um lençol. "Esse homicídio foi o mais terrível que eu vi na minha carreira. Foi um total desrespeito à vida humana", disse o chefe de polícia de Albuquerque, Gorden Eden. Os suspeitos do crime são a mãe da menina, Michelle Martens, de 35 anos, o namorado dela, Fabian Gonzales, de 31, e Jessica Kelley, prima da vítima, também de 31. Eles podem responder por abuso infantil, sequestro, ocultação de provas, estupro e homicídio. Em depoimento à polícia, a mãe negou envolvimento na morte e acusou o namorado de drogar e estuprar a filha, com ajuda da prima.

Alan Sanches cobra explicação da Sesab sobre perda de R$ 6 mi em medicamentos vencidos

Alan Sanches cobra explicação da Sesab sobre perda de R$ 6 mi em medicamentos vencidos
Foto: Divulgação

O deputado estadual Alan Sanches (DEM) cobrou nesta sexta-feira (26) que a Secretaria de Saúde (Sesab) explique a suposta perda de milhares de remédios com validade vencida, que teriam gerado prejuízo de mais de R$ 6 milhões (entenda aqui). “Não é novidade o quanto à população vem sofrendo por falta de medicamentos para tratamentos de doenças sérias. Tenho recebido denúncias de pacientes crônicos que estão sem ter acesso a remédios há mais de quatro meses. Receber essa grave denúncia de que milhares de substâncias não foram distribuídas por falta de competência administrativa, e agora irão para o lixo, não me causa outra coisa senão indignação”, criticou o deputado, que é médico. Segundo Sanches, na lista constam medicamentos com altos custos e que são imprescindíveis para alguns tratamentos. “Isso só comprova a falta de gestão de que tanto venho falando. Contudo, erros como esse, que coloca em risco vidas, não podem ficar impunes”, defendeu.

Crise financeira bate ‘no bolso’ da OAB-BA e entidade cancela contratos de terceirizados

Crise financeira bate ‘no bolso’ da OAB-BA e entidade cancela contratos de terceirizados
Foto: Angelino de Jesus/ OAB-BA
A crise financeira que atinge o país bateu no bolso da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Bahia (OAB-BA). Na manhã desta sexta-feira (26), o presidente da Ordem, Luiz Viana, explicitou a situação financeira da seccional, que, se não adotar algumas medidas de readequação orçamentária, poderá fechar o ano com as contas no vermelho. A questão da vida financeira da OAB foi levantada pelos conselheiros Eduardo Rodrigues e Felipe Garbelotto. Viana pedirá que a gerência financeira da entidade exponha a situação para todos os conselheiros em uma reunião a ser realizada, ainda sem data prevista. Entretanto, Viana antecipou alguns dados, como o índice de inadimplência, que gira entorno de 42,5%. Segundo Viana, no período de sua reeleição, em novembro do ano passado, esse índice era de 27%, e que o orçamento aprovado para o ano de 2017, diante da estimativa de arrecadação, era de R$ 19 milhões. Disse que o ano de 2015 foi fechado com R$ 6 milhões em caixa, devido a um aporte de R$ 2 milhões do Conselho Federal, mas que, diante da falta de pagamento de anuidade dos advogados, o orçamento pode ficar em quase que pela metade, com cerca de R$ 9 milhões para executar todas as atividades da OAB. O sinal amarelo nas contas foi emitido em março deste ano e o sinal vermelho, de que seria necessário adotar medidas mais duras para evitar gastos, foi observado em maio. "Se não tiver uma mudança com os gastos, com o índice de inadimplência que a gente chega, a gente não fecha o ano no azul. Podemos fechar o ano no vermelho, mesmo tendo começado o ano com situação favorável. A diretoria determinou que fosse cortado tudo que absolutamente pudesse ser cortado. Nós estamos, sobretudo, cortando serviços de terceiros, porque a gente não quer demitir funcionários, mas se precisar fazer, vamos ter que demitir", disse lamentado. Entre os cortes, estão a restrição de compra de passagens, hospedagens, contratos com terceiros sendo cancelados, como de estacionamento, e cancelamento de linhas de celulares corporativos. O gestor da OAB, em sua fala, lembrou que o Brasil vive “uma crise econômica que nunca se vivenciou”. “É a maior crise econômica que a gente já vivenciou e está batendo no bolso da OAB”, frisa. Viana diz ainda que não “dá para manter o nível de comprometimento da OAB em serviços que presta e os gastos que se faz”. Luiz Viana também afirma que situação financeira mais grave vive a Caixa de Assistência dos Advogados (Caab), e que é preciso discutir com as 34 subseções no interior do estado a situação orçamentária da Ordem, e que terá que adotar posições que não “são simpáticas”. “Estamos, infelizmente, com uma dificuldade financeira grande, que vai atingir todos nós, mas precisamos compartilhar isso, tanto a decisão do que vai cortar, porque vai ter que cortar, quanto do que a gente vai fazer com relação a isso”, analisa. Com a situação financeira apertada, alguns conselheiros da seccional, atualmente, precisam pagar do próprio bolso custos com estacionamento próximo à sede da entidade, no Portão da Piedade, para participar do Tribunal de Ética e Disciplina, e que, em algumas atividades que tem custos, o grupo tem feito o rateio com os membros das comissões. Luiz Viana ainda analisou como a situação do impeachment da presidente Dilma Rousseff tem impactado na economia do país e que está “todo mundo com dificuldade de dinheiro”. Luiz Viana assegurou que os serviços prestados aos advogados não serão afetados. Sobre os advogados inadimplentes, afirmou que os nomes serão negativados no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Serasa.

Renan dispara contra Gleisi em bate-boca no Senado

O segundo dia de julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff no Senado é marcado, novamente, por bate-boca entre os parlamentares. A sessão já foi suspensa por duas vezes pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu o microfone para se desculpar com o presidente do STF, que conduz o julgamento – e acabou por piorar a confusão. Ele chegou a se referir à Casa como um hospício. A primeira etapa da briga se deu quando o senador petista Lindberg Farias usou o microfone para rebater o desafeto Ronaldo Caiado (DEM-GO), a quem chamou de “desclassificado”. Lewandowski o interrompeu e pediu “respeito mútuo e recíproco” entre os senadores. Os microfones acabaram sendo desligados e o ministro suspendeu a sessão por cinco minutos. Na volta, Renan pediu a palavra e, em tom de desabafo, afirmou que o Senado “não pode passar essa imagem à sociedade”. Então, afirmou a Lewandowski: “Vossa excelência está sendo obrigada a presidir o julgamento num hospício”. Renan relembrou a confusão causada pela senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) na quinta-feira e provocou nova briga ao fazer insinuações sobre o marido da senadora, Paulo Bernardo. “Ontem a senadora Gleisi chegou ao cúmulo de dizer que o Senado Federal não tinha moral para julgar a presidente da República. Como uma senadora pode fazer uma declaração dessa? Exatamente uma senadora que há 30 dias o presidente do Senado Federal conseguiu no Supremo Tribunal Federal desfazer o seu indiciamento e o do seu esposo que havia sido feito pela Polícia Federal. Isso não pode acontecer, é um espetáculo triste que vocês estão dando para o país”. Uma confusão generalizada se instalou no plenário e Lewandowski suspendeu a sessão até as 13 horas. (Veja)

Renan admite que atuou para livrar Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo de indiciamento

Renan admite que atuou para livrar Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo de indiciamento
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) admitiu durante a sessão do impeachment nesta sexta-feira (26) que interferiu para "desfazer" o indiciamento da senadora Gleisi Hoffmann e de seu marido, o ex-ministro Paulo Bernardo. "Isso não pode acontecer, como a senadora pode fazer uma declaração dessa? Exatamente, senhor presidente [Lewandowski], uma senadora que há trinta dias o presidente do Senado Federal conseguiu no Supremo Tribunal Federal  desfazer o seu indiciamento e do seu esposo. Isso não pode acontecer isso é um espetáculo triste que vocês estão dando ao país", afirmou Renan, que já havia criticado a atuação dos parlamentares no julgamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff ao comparar o debate com um hospício (veja mais). A fala do presidente do Senado aconteceu em resposta à reclamação feita por Gleisi nesta quinta-feira (25). "Qual é a moral que tem os senadores aqui para dizer que ela é culpada, para cassar? Quero saber. Qual é a moral que vocês têm?", declarou a petista. Em nota, Renan esclareceu a sua fala e disse que as intervenções foram feitas em nome do Senado Federal. "As intervenções do Senado Federal são impessoais, transparentes e ditadas pelo dever funcional no intuito de defender a Instituição e as prerrogativas do mandato parlamentar".

Em indiciamento, PF conclui que Lula e Marisa foram beneficiários de R$ 2,4 milhões da OAS

Em indiciamento, PF conclui que Lula e Marisa foram beneficiários de R$ 2,4 milhões da OAS
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
A Polícia Federal concluiu em seu relatório de indiciamento que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a sua mulher, Marisa Letícia, foram beneficiários de R$ 2,4 milhões da OAS. Segundo o blog do jornalista Fausto Macedo, o documento aponta que o montante foi usado na reforma do tríplex no Guarujá e na armazenagem de bens do casal. O texto elaborado pelo delegado Márcio Adriano Anselmo, presidente do inquérito do tríplex, relata que Lula e Marisa receberam "vantagens indevidas" de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, e de Paulo Roberto Valente Gordilho, engenheiro da OAS. Aproximadamente R$ 1,1 milhão foi investido na reforma do tríplex na cidade do litoral paulista. O R$ 1,3 milhão restante veio através da armazenagem de bens em containers entre 1º de janeiro de 2011 até 17 de janeiro de 2016. Nesta sexta-feira (26), Lula e Marisa foram indiciados por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro por suspeita de irregularidades na aquisição e reforma do tríplex (veja mais).

Russomano lidera em SP e Crivella no Rio, aponta Datafolha

Segundo o Datafolha, se a eleição em São Paulo fosse hoje, Russomanno teria uma folgada vantagem sobre Marta, que vem em segundo: 31% a 16%. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos. Em terceiro, está Erundina, com 10%, seguida de Haddad, com 8%, e Doria, com 5%. Tecnicamente, os três estão empatados, mas seria preciso apelar aos extremos opostos da margem de erro para chegar a essa conclusão. Muito provavelmente, a ordem é essa mesmo. Já o senador Marcelo Crivella (PRB) lidera pesquisa de intenções de voto para a Prefeitura do Rio com 28% da preferência do eleitorado, de acordo com pesquisa do Datafolha divulgada nesta sexta-feira (26). Os dados mostram que em segundo lugar estão tecnicamente empatados o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), com 11%, o também estadual Flávio Bolsonaro (PSC), com 9%, e a deputada federal Jandira Feghali (PC do B), com 7%. O candidato do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), o deputado federal Pedro Paulo (PMDB), aparece com 5%. Ele é seguido pelos deputados Índio da Costa (PSD), com 4%, Carlos Roberto Osório (PSDB), com 3%, Alessandro Molon (Rede), com 2%, e Cyro Garcia (PSTU), com 1%. Carmen Migueles (Novo) foi citada, mas não alcançou 1%.A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou menos. A pesquisa foi realizada na terça (23) e quarta-feira (24), quando foram entrevistados 928 eleitores.

SCFV de Floresta Azul realiza visitas domiciliar


 





Texto e fotos: Ascom Floresta Azul
A Secretaria Municipal de Assistência Social de Floresta Azul, através do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) acima de 60 anos, sob a direção de Nilza Bispo, tem promovido visitas mensalmente, ou quando necessário, aos lares de idosos que, por motivo de doença, se encontram impossibilitados de comparecerem ao espaço de Convivência do AMI. No ultimo dia 17, no período da tarde, foi realizada mais uma caminhada de visitas domiciliares aos idosos do SCFV, num gesto de carinho, solidariedade e respeito, com o objetivo de contribuir com o resgate da autoestima, através de músicas, mensagens, orações e entrega de pequenas lembranças.
Alem da coordenadora Nilza Bispo, o grupo de apoio contou com as presenças da professora formadora dos idosos, Rosilis Barros; do educador físico Cyro Carvalho e dezenas de idosos que frequentam o espaço do AMI.
Segundo Nilza Bispo, essas visitas são muito importantes, pois fortalecem os vínculos sociais, o respeito e a responsabilidade de cada um de nós com o cidadão da terceira idade e para alguns que se encontram doentes. Essas visitas servem para animar aqueles que mais necessitam de uma palavra de ânimo, declarou a coordenadora.

Depois do fenômeno “Metralhadora”, Banda Vingadora lança “Me Deixa Louca”; vem ver o clipe!

itaaaa! Depois de muito TRA TRA TRA no Carnaval, a Banda Vingadora está de volta com uma nova aposta! “Me Deixa Louca” é o nome da faixa, que acaba de ganhar seu videoclipe e a gente claro, já quis mostrar pra vocês, em primeira mão! Com direção de Bruno Fioravanti, o bapho se passa em um parque de diversões, onde a maior diversão é o vendedor de balões!
A Tays Reis que não é boba nem nada, logo já se engraça pro lado do magya, que mostra pra ela o gás da sua bexiga kkkkkkkkk eu se fosse ela teria feito o padre dos balões e levado esse boy pra bem longe, um homem desse tem que ficar de olho! Hahahaha O clipe ainda tem espaço pra coreo e música traz o tradicional violino da banda… Confira:

Informante reafirma que Dilma cometeu crime de responsabilidade

Júlio Marcelo de Oliveira é ouvido na condição de informante
O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira, autor do parecer que rejeitou as contas do governo de Dilma Rousseff em 2014, reiterou que houve crime de responsabilidade também em 2015. Para Oliveira, que,neste momento, responde as primeiras perguntas de senadores no julgamento do processo de impeachment de Dilma. Ele disse que a presidenta afastada não poderia ter editado os decretos sem a autorização do Congresso Nacional.“Os decretos foram emitidos sem a observância deste mandamento constitucional. O Executivo editou decretos considerados como incompatíveis com a obtenção da meta [fiscal]”, afirmou.O procurador acrescentou que o TCU não emitiu qualquer orientação mudando esta regra, nem mesmo quando o Congresso estiver para apreciar propostas que alterem a meta fiscal do ano corrente. “Não há nenhuma decisão do TCU anterior ao julgamento das contas de 2014, ocorrido em 2015, dizendo que tais créditos poderiam ser abertos, desta forma, abonando a conduta do Executivo”, disse, completando que também não há exceção nem em casos de arrecadação extra.Perguntado sobre os atrasos dos repasses aos bancos públicos responsáveis pelo pagamento de benefícios de políticas públicas, como os empréstimos do Plano Safra – chamados pela acusação de pedaladas fiscais, Oliveira disse que “constituem operações de crédito”.O procurador afirmou que houve intenção de maquiar as contas e que “o beneficiário dos pagamentos devido pelo Tesouro ao banco, na verdade, é o tomador de crédito”, ou seja, o próprio agricultor. “Ele [o governo] está obrigando o Banco do Brasil a subsidiar o agricultor. E quando o Tesouro está fazendo o pagamento está fazendo para favorecer o agricultor, em nome dele”, afirmou.
Agência Brasil

Copérnico: prefeito de Candeias é denunciado pelo MPF


O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o prefeito de Candeias, Francisco Silva Conceição, o secretário de Saúde do município, Manoel Eduardo Farias Andrade, o empresário Nicolau Júnior e mais seis pessoas por falsidade ideológica, dispensa indevida de licitação e fraude licitatória – artigos 299 do CP, 89 e 90 da Lei 8.666. O prefeito e o secretário de saúde do município de Candeias promoveram a terceirização integral do serviço de saúde em três unidades médico-hospitalares do município por meio de diversos instrumentos jurídicos: contratação emergencial; pagamento por reconhecimento de dívidas; pregão presencial e concorrência pública. Segundo as investigações, Nicolau Júnior chefiava uma organização criminosa que utilizava diversas empresas para operar em vários nichos econômicos, atuando por meio de “laranjas”. Umas das empresas envolvidas no desvio é o Instituto Médico e Cardiológico da Bahia (IMCBA) que era utilizada para aliciar prefeitos e servidores públicos para obtenção de contratos de gestão de hospitais, prontos socorros e unidades de pronto atendimento de prefeituras da Bahia, pagos com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) e que proporcionava o enriquecimento ilícito. As investigações revelaram que, na ocasião das contratações, o IMCBA sequer possuía a natureza jurídica de Organização Social – não cumprindo os requisitos formais estabelecidos na Lei nº 9.637/98 –, tratando-se de uma verdadeira empresa utilizada para a prática de crimes. Em Candeias, o prefeito e o secretário contrataram por dispensa de licitação a IMCBA para gerir, na modalidade gestão plena, o Hospital Municipal José Mário dos Santos, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Posto de Saúde Luiz Viana Filho. Segundo o MPF, esse tipo de sociedade facilita a obtenção de vultosos contratos de gestão com entes públicos municipais, cujo formato impossibilitava qualquer controle, diante da falta de discriminação dos itens contratados e da ausência de uma adequada prestação de contas.

PCdoB pode romper com o PT após conclusão de impeachment



O PT decidiu apoiar um candidato do PSDB no Maranhão – estado governado por Flávio Dino (PCdoB)
De acordo com a coluna Radar Online, da revista Veja, o PCdoB pode romper com o PT após a conclusão do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A relação das siglas foi comprometida depois que o PT decidiu apoiar um candidato do PSDB no Maranhão – estado governado por Flávio Dino (PCdoB), até então um dos maiores defensores de Dilma. O pedido inusitado teria sido feito pela própria presidente, em uma tentativa de obter votos contra o seu impeachment. Depois da decisão, Dino teria deixado a defesa da petista de lado e começado a trabalhar em uma possível integração com o governo do até então o presidente interino Michel Temer (PMDB) – que eles ainda chamam de “golpista”.

Lewandowski diz que sessão deve seguir até de madrugada



O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, disse que a sessão do julgamento do impeachment desta quinta-feira, 25, deve se estender até de madrugada. “Vamos até de madrugada, se for necessário”, disse à reportagem depois de chegar do intervalo.A sessão foi retomada pouco depois das 19h. Ainda faltam nove senadores fazerem perguntas para Júlio Marcelo Oliveira, que é procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU). Apesar de ele ter sido declarado suspeito, e não poder depor como testemunha, os senadores continuaram interrogando-o como informante.A ideia é dar início ainda nesta quinta-feira à oitiva da segunda e última testemunha de acusação, o auditor federal de Controle Externo do TCU, Antonio Carlos Costa D’Ávila Carvalho Junior. As testemunhas indicadas pela defesa da presidente afastada Dilma Rousseff serão ouvidas a partir de sexta.Lewandowski não quis estimar quando acontecerá a votação final do processo, e afirmou que o ritmo do julgamento iria “depender da autocontenção dos senadores”.
Estadão Conteúdo

Vingadora disputa prêmio Multishow de melhor clipe

A banda Vingadora está entre os indicados ao Prêmio Multishow 2016 com o clipe Paredão Metralhadora.

Vingadora disputa prêmio Multishow de melhor clipe

A produção audiovisual, que ultrapassou 170 milhões de visualizações no Youtube e foi eleita a música do Carnaval, está disputando o prêmio com Bang, de Anita, Porque eu sinto falta, de Lexa, e Essa é a hora, de Mc Marcelly.
A votação dessa primeira fase será finalizada na próxima sexta-feira (26) e conta com a votação popular que está sendo realizada por meio de hashtags no Twitter. – Estou muito feliz em ser uma das indicadas deste prêmio do Multishow. Estamos contado com o apoio dos fãs e do Brasil inteiro que curtiu bastante a nossa proposta – comemora Tays Reis, vocalista do grupo.
O clipe possui diversas referências ao filme Mad Max: Estrada da fúria, que tem a personagem Imperatriz Furiosa. As imagens mostram um campo de batalha. A cantora, ao lado de outras “companheiras”, duela com um violonista e seus músicos. (Pimenta)

Mundo: Mulher diz ter sido estuprada por um Pokémon

De acordo com uma mulher russa, que não teve seu nome identificado, algo inédito aconteceu. Segundo declaração publicada pelo jornal inglês Daily Mail, ela foi estuprada por um Pokémon.

Mundo: Mulher diz ter sido estuprada por um Pokémon
 A vítima aparentemente não conseguiu identificar o monstrinho, mas no momento em que isso ocorreu, ela estava jogando Pokémon Go de forma inocente antes de dormir.
Segundo ela, o monstrinho era “gigante” e apareceu enquanto ela estava dormindo. Assim que a mulher, que é casada, acordou, percebeu que o bicho estava sobre ela, a violentando.
A russa ainda afirmou que o Pokémon desapareceu assim que ela pulou da cama para identificá-lo, mas que o app mostrou a presença dele na área. O amigo dela Ivan Makarov afirmou que ela poder enxergar Pokémon mesmo sem o app, e até o cachorro dela late quando ela joga.

Porchat estreia na liderança

Fabio Porchat estreou em alta na Record. Segundo dados prévios da Kantar/Ibope, o "Programa do Porchat" marcou 8,8 pontos no horário, ante 6,7 pontos da Globo, e 4,9 pontos do SBT. Para quem conhece a audiência da faixa da meia-noite, horário da talk show, é fácil dizer que a plateia de estreia do humorista foi muito alta. Cada ponto equivale a 69 mil domicílios na Grande SP. Apesar da timidez de Sasha, entrevistada de estreia, a filha de Xuxa virou sensação nas redes sociais quando surgiu no programa e levou a atração para o trending topics do Twitter. Porchat ainda tirou onda da concorrência, brincou com a saída de Pedro Bial do "BBB" e disse que Danilo Gentili perdeu a tranquilidade que tantas estreias como a dele, de Julia Rabelo no GNT e a de Adnet na Globo. Tudo isso sem apelar. Porchat sabe ser divertido e ácido sem ser agressivo. Tem repertório vasto. Isso é talento raro entre os que nasceram na comédia Stand-up. (Keila Jimenez)

Mulher é feita refém em Eunápolis e tem o carro roubado

Assaltantes armados roubaram um carro no bairro Alto da Boa Vista, em Eunápolis, e fizeram a dona do veículo refém por cerca de meia hora na manhã desta quarta (24). Segundo informações levantadas pela Polícia Civil, a mulher estacionou o carro garagem da sua casa, na Rua Boa Vista, quando foi surpreendida pela dupla. Conforme a informação, um dos assaltantes assumiu a direção o veículo e o outro ficou no banco de trás com a vítima. Durante a fuga, o bandido chegou a bater o veículo em um carro que estava estacionado na rua. Ainda de acordo com a polícia, os bandidos seguiram pela BR-367 e abandonaram a mulher pouco depois do distrito de Vera Cruz. A dupla fugiu com o automóvel em direção ao município de Porto Seguro. A vítima conseguiu carona para retornar para Eunápolis. Segundo a informação, os bandidos ainda roubaram um cartão de crédito com a senha da vítima, dois celulares e objetos que estavam no interior do veículo, como roupas e materiais escolares. O carro é um Chevrolet Vectra, cor preta, placa JSQ 9200. A Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos disponibiliza um WhatsApp para denúncias: (73) 98215 – 0072. A identidade do informante será mantida em sigilo.  (Radar64)

Isaquias será recebido nesta sexta feira (26) em Ubaitaba

O medalhista Olímpico Isaquias Queiroz chega nesta sexta-feira (26), em Ubaitaba e irá desfilar em carro do corpo de bombeiros pelas principais ruas e avenidas da cidade. O voo que traz o atleta deve pousar as 15:40 no Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus. A Prefeitura Municipal em parceria com a ACC – Associação Cacaueira de Canoagem estão preparando uma mega recepção para atleta na entrada da cidade às 17hs. O canoísta de 22 anos foi o atleta brasileiro a ganhar mais medalhas na Olimpíada do Rio. Foram três no total, sendo duas de prata e uma de bronze. Foram também os primeiros pódios do país na história nesta modalidade. (Ubaitaba Urgente)

Eleições 2016: Campanha para prefeito continua morna em Salvador; confira agenda


Eleições 2016: Campanha para prefeito continua morna em Salvador; confira agenda
Foto: Bahia Notícias
A campanha pelo comando da prefeitura de Salvador chega ao 11º dia ainda morna, com poucos compromissos de destaque na agenda desta quinta-feira (25). O candidato à reeleição ACM Neto (DEM) cancelou as atividades de campanha após as chuvas se intensificarem na capital baiana - pela manhã, cumpre agenda com secretários na sede da Codesal. A deputada federal Alice Portugal (PCdoB) faz, pela manhã, panfletagem na Feira de São Joaquim e grava programa eleitoral. Durante a tarde, a comunista participa da roda de conversa “Lésbicas nos Espaços de Poder”, além de uma caminhada em São Caetano. À noite, vai ao lançamento de uma candidatura a vereador. Na lista de compromissos previstos para a manhã desta quinta, o deputado estadual Pastor Sargento Isidório (PDT) grava entrevista para uma rádio e, depois, realiza atividade pastoral na Fundação Dr. Jesus. À tarde, grava apenas programa eleitoral. Pela noite, reúne-se com coordenadores de campanha. O candidato Cláudio Silva (PP) grava, pela manhã, programa eleitoral e reúne-se com líderes comunitários de Itapuã. À tarde, encontra-se com lideranças religiosas de Cosme de Farias e concede entrevista a um site. Pela noite, vai ao encontro de eleitores em Piatã. A vice-prefeita e candidata Célia Sacramento (PPL) concede, pela manhã, entrevista a um site. À tarde, dá entrevista a outro site. Durante a noite, encontra-se com lideranças e com uma candidata a vereadora. O candidato Rogério Tadeu Da Luz (PRTB) concede, pela manhã, entrevista a uma rádio e TV locais. À tarde, encontra-se no Salvador Shopping com vereadores do partido e apoiadores de campanha. Já Fábio Nogueira (PSOL) faz pela manhã panfletagem na estação de trem da Calçada. Pela tarde, concede entrevista a um veículo de comunicação. Durante a noite, grava programa eleitoral.

Maraú: Chuva alaga ruas e aulas são suspensas

Maraú: Chuva alaga ruas e aulas são suspensas
Foto: Dudu do Face / Arquivo Pessoal


A cidade de Maraú, no Baixo Sul, registrou fortes chuvas nesta quarta-feira (24). A precipitação deixou bairros da cidade alagados. Em Barra Grande, um dos centros turísticos da região, sofreu com as chuvas. Segundo dados do Instituto Nacional de Metereologia (Inmet), choveu 185,4 mm na região. Conforme o G1, a secretária de Administração de Maraú, Anaíldes Conceição Sacramento, disse que apesar da forte chuva, não há registro de desabamentos, deslizamentos, nem de feridos ou desaparecidos. A água chegou a invadir lojas, casas e escolas da cidade. Por conta do alagamento, as aulas foram suspensas nesta quarta-feira nas escolas de Maraú e na escola municipal que funciona em Barra Grande. Caso as chuvas continuem, a aulas podem ser suspensas nesta quinta-feira (25) também. No interior do estado, a chuva também foi registrada: Valença (72 mm), Ilhéus (28 mm), Itabuna (4 mm), Porto Seguro (10 mm), Cruz das Almas (5,5 mm), Amargosa (8,5 mm).

Floresta Azul ganha mais uma médica do Programa Mais Médicos


 
Texto e fotos: Ascom Floresta Azul

A cidade de Floresta Azul mais uma vez foi escolhida como município prioritário para receber outro médico participante do Programa Mais Médicos, do Governo Federal. Na manhã da última segunda-feira, (22), a médica Samara Pinto Vasconcelos, selecionada no 12° ciclo do Programa Mais Médicos, foi recepcionada pela secretária Municipal de Saúde Domilene Costa, a Coordenadora da Atenção Básica Fernanda Luísa e toda a equipe da Unidade de Saúde da Família Marcelina Bispo, onde a médica ficará lotada.

Dra. Samara é natural de Camacã e reside atualmente em Itabuna. Possui experiência em Saúde da Família, tendo trabalhado no município de Arataca, além de fazer parte do corpo clínico no Hospital Santo Antonio, em Camacã.

A médica atenderá na Unidade de Saúde da Família (USF) Marcelina Bispo, de segunda a quinta-feira, das 08:00 às 16:00.

Léo Pinheiro se cala diante de Moro

O executivo Léo Pinheiro, da OAS
O executivo Léo Pinheiro, da OAS, ficou em silêncio durante seu interrogatório na Operação Lava Jato. Frente a frente com o juiz federal Sérgio Moro, o empreiteiro disse que ‘por orientação dos advogados’ não responderia a nenhuma pergunta. O empreiteiro da OAS foi chamado para depor como réu em ação penal na Justiça Federal do Paraná em que também é réu o ex-senador Gim Argello. Léo Pinheiro, condenado a 16 anos de reclusão por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa na Lava Jato, teve a negociação de sua delação premiada suspensa pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A interrupção foi provocada pela divulgação de informações sobre o ministro Dias, Toffoli, do Supremo Tribunal Federal. O ministro teria sido citado por Leó Pinheiro, o que é negado pelo procurador-geral.
Estadão

Procuradores saem em defesa da Lava Jato e de Janot

Um dia após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e a força-tarefa da Lava Jato serem alvos de duras críticas do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), o Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), a Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), a Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM) e a Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) afirmaram apoiar os “excepcionais esforços e trabalho” da Procuradoria-Geral da República e da Lava Jato no combate à corrupção.Com mais de 18 mil membros, as associações signatárias da nota publicada nesta quarta-feira, 24, representam todo o Ministério Público e defendem os trabalhos dos integrantes da força-tarefa da operação que, segundo a nota, vem levando com sucesso ao Poder Judiciário o maior esquema de corrupção já descoberto no País.”A atuação do Ministério Público na Lava Jato tem sido técnica, completa, e, acima de tudo, republicana, avançando sempre em busca da elucidação dos fatos, sem escolher e sem evitar o envolvimento de quem quer que seja. O Brasil, com a força desse trabalho, um exemplo do que faz o Ministério Público de todo País, acredita mais e mais em vencer a impunidade”, aponta o texto divulgado pelas associações.No texto, as entidades sustentam que as investigações contrariam interesses poderosos e quebram “paradigmas negativos” o que resulta em “injustiças” levantadas contra os investigadores.
Estadão Conteúdo

Prefeito chama governador para briga em evento de campanha

Prefeito ACM Neto fala durante evento para multiplicadores
Durante apresentação de seu plano de governo para um eventual segundo mandato, esta noite, no Hotel Fiesta, o prefeito ACM Neto (DEM) afirmou que o governador Rui Costa (PT) ‘deveria trabalhar mais do que ficar se preocupando comigo’. “Não adianta o governador querer se esconder atrás de seus candidatos, pois eu vou e quero debater é com ele. Não adianta. Eu estou pronto para mostrar que nos anos de governo de PT eles não construíram uma escola sequer. Eu estou pronto para mostrar que o Partido dos Trabalhadores é o mais corrupto do Brasil”, provocou o democrata, que antes de apresentar seu plano, fez um balanço de seu governo para multiplicadores e correligionários.

Caatiba: Prefeito e vice são afastados por fraudes em verbas da educação

Caatiba: Prefeito e vice são afastados por fraudes em verbas da educação
Foto: Reprodução / Blog do Anderson
O prefeito de Caatiba, no sudoeste, Júnior Mendes, e a vice, Maria Tânia Ribeiro, que concorre à prefeitura em outubro, foram afastados dos cargos. Os dois foram afastados dentro da operação Mato Serrado, que investiga fraudes em licitações e desvios de verbas destinadas à educação.  O secretário de administração do Município, Thiago Luz, também foi retirado do cargo. A Justiça Federal, que acatou acusação do Ministério Público Federal (MPF), também determinou o bloqueio dos bens dos três e de outros 11 envolvidos até o valor de R$1.154.000,00. A operação Mato Cerrado, deflagrada em conjunto com a Polícia Federal, Receita Federal e Controladoria-Geral da União em julho deste ano, aponta fraude na contratação de cooperativas constituídas irregularmente, viabilizando a transferência ilegal de pagamento de servidores públicos. A análise do sigilo dos dados bancários e telemáticos pela Assessoria de Pesquisa e Análise do MPF/BA demonstrou que os investigados superfaturavam as notas fiscais, incluíam parentes na folha de pagamento e apropriavam-se de verba pública. Os políticos ficam afastados pelo prazo de 180 dias. Ficam também desconstituídas as empresas Capital Cred Intermediações e Luzes Patrimonial Ltda. Ainda segundo a apuração, o esquema contava com mais 11 envolvidos, dentre eles a esposa do prefeito, Kelle Geyse Santana Santos Mendes – ex-secretária da Saúde do município, empresas e outros servidores públicos.

Presidente do PSDB-GO é preso em operação da PF que investiga desvio de R$ 4,5 mi

Presidente do PSDB-GO é preso em operação da PF que investiga desvio de R$ 4,5 mi
Foto: Reprodução/ Facebook

O presidente do PSDB de Goiás, Afreni Gonçalves Leites, foi preso temporariamente pela Polícia Federal nesta quarta-feira (24), em decorrência da Operação Decantação (leia aqui). O partido é apontado como um dos beneficiários do desvio de R$ 4,5 milhões de recursos federais por meio de contratos fraudulentos da empresa de Saneamento de Goiás. De acordo com a Folha, o partido teria recebido os recursos por meio de doações legais e via caixa dois, para pagamento de propinas e dívidas de campanhas políticas dos tucanos. Foram cumpridos outros 14 mandados de prisão preventiva e temporária, 21 de condução coercitiva e 67 de busca e apreensão em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Formosa e Itumbiara, em Goiás; em São Paulo (SP) e em Florianópolis (SC).

Mulher é sequestrada e depois morta a tiro

Uma mulher foi morta e um homem ficou ferido na noite desta segunda-feira, 22 de agosto, em Montanha, no Norte do Espírito Santo. Segundo informações, o casal teria vitima de um sequestro, o carro onde as vítimas estavam teria sido levado a uma área afastada da cidade, próxima da divisa de Nanuque, em Minas Gerais, onde ocorreu o crime. Os dois foram baleados. Marília Carvalho do Carmo de 29 anos, levou um tiro na nuca e morreu na hora, já o homem conhecido como Alemão, foi socorrido e levado para um hospital em Nanuque, onde foi atendido e depois encaminhado para o hospital de Montanha. Nas redes sociais, amigos mostram tristeza e indignação com o crime. "Triste demais! Não consigo acreditar! Que Deus conforte o coração de toda a família", diz uma das publicações. "Ela era uma pessoa muito querida, super de bem com a vida! Que Deus o tenha em seus braços. Amém" comenta outro internauta. (Sul Bahia News)

Justiça eleitoral retifica valor do patrimônio de Mangabeira

A justiça eleitoral retificou o valor declarado do candidato a prefeito de Itabuna. O valor atual está em R$ R$ 3.569.263,06. Na semana passada o TSE divulgou que o valor seria superior a R$ 356 milhões. A divulgação anterior causou uma grande repercussão na cidade, mas estava evidente que seria um erro na declaração ou na digitação do valor. O candidato mais rico de Itabuna é o ex-prefeito Fernando Gomes (DEM), que declarou patrimônio de R$ 14.182.484,62. (Políticos do Sul da Bahia)

Ouro no judô, Rafaela será jurada da ‘Dança dos Famosos’

Rafaela Silva, medalha de ouro no judô na Olimpíada, será jurada da “Dança dos Famosos” do “Domingão do Faustão” (Globo), neste domingo (28). A judoca terá a companhia da atriz Juliana Pares. Brenno Leone, Felipe Simas, Leona Cavalli, Letícia Lima, Lisandra Souto, Nego do Borel, Marcelinho, Rainer Cadete, Sidney Magal, Solange Couto, Sophia Abrahão e Valesca estão na disputa. (Lígia Mesquita)

‘A Lava Jato está incomodando tanto e a quem e por quê?’, questiona Janot

Rodrigo Janot
O procurador-geral da República Rodrigo Janot fez uma indagação enigmática durante reunião do Conselho Nacional do Ministério Público nesta terça-feira, 23. “A Lava Jato, hoje, está incomodando tanto e a quem e por quê?”. Janot fez essa colocação ao final de um longo pronunciamento ao colegiado em reação aos ataques desfechados à Procuradoria pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. Gilmar Mendes atribuiu à Procuradoria o vazamento de detalhes da suposta delação do empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, que teria citado o ministro do STF, Dias Toffoli. Janot afirma que jamais chegou ao Ministério Público Federal, em meio às negociações com a OAS que já se arrastam há seis meses, qualquer citação a Toffoli. O procurador disse que é ‘um estelionato delacional, um factoide, uma invencionice’. Ao rebater as acusações de Gilmar Mandes, o procurador foi enfático. “O Ministério Público não tem bandeira”. Segundo ele, os procuradores realizam investigações com isenção. “O que me chamou a atenção nesse episódio desses dois ou três dias é que o Brasil vive um jogo Fla-Flu, um jogo de dois lados, e nesse jogo o Ministério Público tem apanhado de ambos. Portanto, estamos desagradando a ambos os lados. Na minha visão é um sinal positivo. Caminhamos bem porque não estamos agradando a lado algum. Não temos bandeira, não temos ideologia, não temos parte, não temos lado. Temos o lado da investigação dos fatos”. Leia mais no Estadão.
Estadão

Gastos obrigatórios da União vão subir R$ 90 bi em 2017


A proposta da Lei Orçamentária Anual (Ploa) da União de 2017 será enviada ao Congresso Nacional com uma elevação de R$ 90 bilhões nas despesas obrigatórias do governo em relação ao estimado para este ano. Para compensar parte desse aumento, as despesas discricionárias, aquelas que o governo pode cortar livremente, terão uma queda de R$ 10 bilhões.Em entrevista ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, informou que a área econômica está trabalhando agora para fechar os cortes no grupo de despesas discricionárias. ”Estamos correndo atrás do prejuízo”, afirmou o ministro. Segundo ele, as despesas discricionárias projetadas para 2016 são de cerca de R$ 252 bilhões. É sobre esse valor, explicou, que se dará a redução desses gastos em 2017.A área econômica analisa também os gastos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Não haverá antecipação do envio do projeto ao Congresso. O governo vai enviar o texto no dia 31 deste mês, prazo final permitido pela legislação. Esse é o mesmo dia previsto para a conclusão do julgamento do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff.O governo está trabalhando para fechar a proposta de Orçamento sem a necessidade de medidas de aumento de tributos, o que Oliveira considera viável com o incremento das receitas por conta dos efeitos da elevação de 1,2% para 1,6% da previsão de alta do Produto Interno Bruto (PIB) para 2017 na arrecadação e do resultado de concessões nas áreas de petróleo, energia elétrica e aeroportos.O ministro do Planejamento informou que a proposta de Orçamento prevê uma alta das despesas globais ligeiramente inferior à inflação prevista para este ano.
Estadão Conteúdo

ASSIS CARVALHO É CONDENADO PELA JUSTIÇA A PERDA DE DIREITOS POLÍTICOS

 
                                          16/04 - O deputado Assis Carvalho (PT/PI) discursa durante sessão de discussão do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff no plenário da Câmara, em Brasília (Foto: Nilson Bastian/Câmara dos Deputados)

O deputado federal do Piauí Assis Carvalho (PT) foi condenado a suspensão dos direitos políticos por cinco anos e a pagamento de multa de R$ 250 mil. A Justiça federal considerou que o parlamentar, quando era secretário de saúde do estado, cometeu crime de improbidade administrativa ao dispensar licitação por falsa emergência e ainda favorecer empresas. A sentença foi dada no dia 17 de agosto.

O advogado Joaquim Almeida, que defende Assis Carvalho, afirmou que vai recorrer da decisão e que considera a sentença injusta e equivocada. Para a defesa, a medida tomada pelo deputado, enquanto desempenhava a função de secretário de saúde, foi para proteger os cofres públicos de contrato que vinha lesando o estado.

NO PAPARAZZO, ANAMARA FALA SOBRE SEXO: 'IMPORTANTE ATÉ PARA A SAÚDE'






Anamara conquistou o público do “BBB 10” e teve direito a bis ao participar pela segunda vez do reality show, no “BBB 13”. A personalidade forte e o carisma da baiana fizeram a fórmula de sucesso se repetir no Paparazzo e, após posar duas vezes para o site, a ex-policial militar está de volta, provando que ainda tem muito para mostrar. Aos 32 anos, Maroca fotografou no hostel Contemporâneo, na Zona Sul do Rio, e chamou atenção pelo corpaço sequinho e com celulite zero. As novas curvas são resultado de uma dieta rígida – coisa que a ex-BBB nunca havia tentado – e malhação acompanhada de um personal trainer. “Nas primeiras semanas não comia nada de carboidrato, agora já posso comer alguns tipos antes e depois dos treinos. Mas mesmo assim estou evitando”, contou

Neto poderá ganhar no primeiro turno


Neto poderá ganhar no primeiro turno
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ Bahia Notícias
As emissoras afiliadas da Rede Globo lançaram no início da noite desta segunda-feira (23) pesquisas, as primeiras, sobre as eleições municipais de norte a sul. Chamou atenção o desempenho de ACM Neto (DEM), em Salvador, ao disparar com 68% contra menos de 8% dos demais candidatos. Dois deles não pontuaram, entre os quais a vice-prefeita, Célia Sacramento (PPL). O curioso é que Célia anda em litígio com o prefeito e andou a dizer na mídia que ele tinha superfaturado obras, citando as revitalizações da Barra e do Rio Vermelho, levando Neto a responder que irá processá-la. Mais curioso ainda é que ela só se manifestou sobre este assunto há poucos dias, quando o prefeito decidiu sobre quem seria o seu vice e a deixou de fora. Necessitava contemplar o PMDB, levando-o a escolher Bruno Reis, que fora um dos seus secretários na administração. Não se trata, como se vê, de uma guerra para se levar em consideração. Se assim o fosse Célia deveria fazer a sua denúncia enquanto estava ao lado de Neto, e não após perder a condição de continuar no posto para uma reeleição em dobradinha. Já em relação aos demais candidatos à prefeitura, imaginava-se que a candidata do PCdoB, Alice Portugal, tivesse melhor desempenho na pesquisa, assim como o Sargento Isidório, do PDT. A primeira citada, Alice, estabeleceu um quase confronto com a senadora Lídice da Mata, do PSB, ex-prefeita de Salvador. Lídice preferiu ficar de fora porque os dois partidos são aliados. Já Isidório foi o primeiro candidato que se lançou à prefeitura da cidade e dele esperava-se mais. É possível que durante a campanha eleitoral ele consiga passar à frente. O grande fato das pesquisas comandadas pelas emissoras afiliadas da Rede Globo é que, embora ainda não se possa determinar, existe a possibilidade de ACM Neto ganhar em primeiro turno. A campanha será curta. Teremos à frente apenas 40 dias até o seu final.

Bom Jesus da Lapa: Prefeito é punido por gastos irrazoáveis em situação de emergência

Bom Jesus da Lapa: Prefeito é punido por gastos irrazoáveis em situação de emergência
Foto: Reprodução / Barreiras Notícias

O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) determinou nesta terça-feira (22) a formulação de uma representação ao Ministério Público da Bahia (MP-BA) contra o prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro Pereira. De acordo com a Corte, o político realizou gastos “irrazoáveis” com os festejos de São Pedro e aniversário de emancipação da cidade em 2013.

‘Punição tem que ser rápida, exemplar’, prega secretário-geral do TSE para abuso de autoridade


Reunião do Conselho Jurídicos, da Fiesp, que discutiu alterações na lei sobre abuso de autoridade
O secretário-geral da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luciano Felício Fuck, defendeu que a Lei do Abuso de Autoridade, em tramitação no Congresso com apoio expresso do senador Renan Calheiros (PMDB/AL), crie tipos penais específicos. “Não apenas para policiais, mas para todos que exerçam a autoridade estatal, como magistrados, promotores, procuradores e até parlamentares”, ele recomenda. Fuck participou da reunião do Conselho Superior de Assuntos Jurídicos e Legislativos da Fiesp (Conjur), nesta segunda-feira, 22, em que se debateu o projeto de lei sobre crimes de autoridade. A reunião foi conduzida pelo ministro Sydney Sanches, presidente do Conjur. As informações foram divulgadas pela Agência Indusnet/Fiesp. O secretário-geral do TSE trouxe à mesa o II Pacto Republicano, em 2009, em que se destacou a necessidade de atualização de instrumentos para tornar o Judiciário mais célere e efetivo. Os subscritores do documento foram quatro: ministro Gilmar Mendes, então presidente do Supremo Tribunal Federal, Lula, então presidente da República, Renan Calheiros, na presidência do Senado, e Michel Temer, na Câmara. Eles assinaram o pacto, que previa aprovação de leis sobre composição do Conselho Nacional de Justiça e sobre os precatórios. Leia mais no Estadão.
Estadão Conteúdo

Janot diz que MPF desconhece citação a Toffoli em delação e nega vazamento

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, chefe do Ministério Público Federal, negou hoje (23) que os procuradores do órgão tenham recebido delação citando o ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli. “Reafirmo que não houve nas negociações ou pretensas negociações de colaboração com essa empreiteira nenhuma referência, nenhum anexo, nenhum fato enviado ao Ministério Público que envolvesse essa alta autoridade judiciária”, disse Janot durante sessão do Conselho Nacional do Ministério Público.“Posso afirmar peremptoriamente que esse fato não foi trazido ao conhecimento do Ministério Público. Esse pretenso anexo jamais ingressou em qualquer dependência do Ministério Público, portanto, de vazamento não se trata. Ou se trata de um fato que o jornal ou meio de comunicação houve por bem publicar ou se trata de um fato que alguém vendeu como verdadeiro”, acrescentou o procurador-geral.Matéria da revista Veja do último fim de semana diz que o ministro Dias Toffoli teria sido citado pelo ex-presidente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro, durante negociação com o MPF para delação premiada relacionada a Operação Lava Jato. “Esse meio de comunicação disse ter havido um anexo, que é o nome que se dá às informações escritas dos colaboradores ao Ministério Público, envolvendo um alto magistrado da República e as especulações vêm de que houve vazamento sobre essas informações”, disse Janot.
Agência Brasil

Simone Tebet: ‘A gestão Dilma levou à tempestade perfeita e ao impeachment’



Foto por: Waldemir Barreto /Agência Senado
Brasília (DF) - Partidária do impeachment, a senadora Simone Tebet (MS) avalia que Dilma Rousseff poderia ter produzido um desfecho diferente para o seu mandato. “Se ela tivesse renunciado lá atrás, levaria a uma comoção da sociedade, pedindo que o vice renunciasse também, para que houvesse nova eleição. Essa seria uma saída que talvez atendesse melhor aos anseios das ruas.” Ao prolongar a própria agonia, a presidente petista deixou os congressistas sem alternativa, disse a senadora em entrevista ao blog. “A gestão da Dilma levou o país à tempestade perfeita e, em consequência, ao impeachment.”
O PMDB foi sócio do governo do PT, recordou o repórter à senadora. A Lava Jato exibe a cumplicidade das duas legendas. Sendo peemedebista, não sente incômodo? Simone Tebet respondeu assim: “Não. Até porque, se houver a comprovação de qualquer coisa contra o Temer no futuro, ele também pode passar pelo mesmo processo”. Vai abaixo a entrevista da senadora:
Josias de Souza — Durante todo o processo, Dilma e seus partidários matelaram a tese de que o impeachment, tal como foi conduzido, é um golpe. Como a senhora espera ser tratada pela história? 
Simone Tebet: Não tenho medo do que os livros de história vão contar. Até porque essa história vai ser escrita por todos nós: os professores nas salas de aula, os jornalistas nos meios de comunicação, os historiadores nos livros. Vai ser escrita também pelos milhões de desempregados e por aqueles que se sentem lesados pela corrupção desenfreada que se estabeleceu no Brasil. Eu me insurjo contra a expressão golpe de Estado, não necessariamente contra a palavra golpe. Golpe qualquer um pode dizer, porque é um discurso político. Golpe de Estado é um termo jurídico, significa uma ruptura inconstitucional. Isso não houve. O impeachment está na Constituição. Preservados os pressupostos jurídicos preliminares, a decisão é política. Tanto que não cabe recurso ao Supremo. Os livros vão deixar tudo muito claro.
Josias de Souza — Está convencida de que o uso de recursos de bancos públicos para bancar despesas do Tesouro —as chamadas pedaladas fiscais— e a liberação de créditos suplementares sem autorização do Congresso justificam o impeachment? 
Simone Tebet: Não havendo golpe de Estado, o julgamento depende do posicionamento ideológico e pessoal de cada um. A questão é enxergar se havia ou não a gravidade dos fatos a ponto de levar o impeachment adiante. Entendo que não basta analisar os fatos isoladamente. Para acontecer o impeachment, numa democracia moderna, é preciso que haja uma tempestade perfeita. A gestão da Dilma levou o país à tempestade perfeita e, em consequência, ao impeachment. Está caracterizado o crime de responsabilidade. Muitos dizem que parece pouco. Eu poderia até absolvê-la, desde que não estivesse num país que vive a sua maior crise política, econômica e social por uma série de questões relacionadas à gestão dessa presidente. Então, os fatos mencionados no processo existiram. Analiso esses fatos. Mas não tenho como me basear apenas neles. Tenho que analisar todo o contexto para decidir se absolvo ou não. É um julgamento político.
Josias de Souza — O que a senhora está dizendo é que pesa no julgamento o chamado conjunto da obra? 
Simone Tebet: Exatamente. Se você tivesse crime de responsabilidade com uma economia forte, com apoio popular e do Congresso, sem uma gestão fiscal e econômica errática, você poderia até absolver a presidente, mesmo diante do cometimento desses crimes de responsabilidade de que ela é acusada agora. Esse é um julgamento político.
Josias de Souza — Nas manifestações de rua havia o ‘fora Dilma’, mas não se viu o ‘fica Temer’. O PMDB, foi sócio do governo do PT. A Lava Jato deixa claro que o PMDB foi também cúmplice. Sendo a senhora do PMDB, isso não lhe causa incômodo? 
Simone Tebet: Não. Até porque, se houver a comprovação de qualquer coisa contra o Temer no futuro, ele também pode passar pelo mesmo processo. Assim é a democracia. Eu não tenho outra saída legal. A única saída legal é a que estamos adotando. A carta da presidente Dilma chegou com quase dois anos de atraso. Se ela tivesse renunciado lá atrás, levaria a uma comoção da sociedade, pedindo que o vice renunciasse também, para que houvesse nova eleição. Essa seria uma saída que talvez atendesse melhor aos anseios das ruas. Não aconteceu. A presidente levou o problema até o último minuto do segundo tempo. Falar agora em plebiscito, que é inconstitucional, nos faz ficar sem saída. Não tenho nenhum incômodo com essa situação. Todos os partidos estão sujeitos a ter bons e maus políticos. Não é só o PT ou o PMDB. Tem outras siglas que estão sendo investigadas. Uma vez comprovado, todos têm que ser julgados pelos seus crimes. Mesmo o presidente —o atual e os futuros.
Josias de Souza — No Brasil pós-redemocratização, tivemos quatro presidentes eleitos: Fernando Collor, Fernando Henrique, Lula e Dilma. Dois foram abalroados pelo impechment. A taxa de mortalidade é de 50%. Isso é sinal de vitalidade ou de precariedade da nossa democracia? 
Simone Tebet: Isoladamente, isso é neutro. O que acho mais grave é que não temos condições de eleger um presidente da República com estabilidade para governar se não mudarmos pelo menos um item da nossa legislação eleitoral: a cláusula de barreira. Ninguém vai governar numa democracia forte e consolidada como a nossa com quase 40 partidos constituídos. Com essa profusão de partidos, você entra no presidencialismo de coalizão. Um presidente, por mais que tenha votação extraordinária, ainda que saia das urnas com 80% dos votos, ele não vai fazer maioria no Legislativo. Para obter a maioria, ele começa a fazer concessões de ministérios, cargos. Aí você já começa um governo Frankstein, sem coesão. O presidente não tem liberdade para escolher nem aqueles que serão os seus gerentes. Muitos falam de reforma política. Acho que se avançássemos só nisso, a clausula de barreira, capaz de reduzir o número de partidos, teríamos um presidencialismo mais forte, menos sujeito a intempéries.
Josias de Souza — Acha que o PMDB se beneficará politicamente do processo de impachment? 
Simone Tebet: Não creio. O presidente Temer terá de implantar um conjunto de reformas que não são populares, mas necessárias. Creio que ele conseguirá fazer isso, porque não tem a intenção de ser candidato a presidente da República. Vai querer sair como o Itamar Franco saiu. E o Itamar só foi reconhecido bem depois. Também no caso do presidente Temer, só a médio prazo virá o reconhecimento de que o remédio foi amargo, mas o esforço era necessário. Se tudo der certo, começaremos a colher os frutos daqui a quatro ou seis anos. Portanto, é uma vontagem termos um vice-presidente que não tem a intenção de ser presidente da República novamente. Ele pode fazer mais livremente o dever de casa.
Josias de Souza — O que imagina que ocorrerá no país com a efetivação de Michel Temer?
Simone Tebet: Hoje, o sucesso do país depende muito mais do Congresso do que do governo Temer. O Temer já colocou suas cartas na mesa. Já sabemos o que podemos esperar, o que pensa a equipe econômica. Cabe ao Congresso, sem deixar de fazer os embates necessários, deliberar sobre aquilo que é relevante para tirar o país rapidamente dessa crise. É preciso ter bom senso.
Josias de Souza — Haverá bom senso depois do julgamento final do impechment? 
Simone Tebet: A preocupação com o day after é crucial. O dia seguinte é o grande ponto de interrogação. O sucesso das medidas econômicas a serem implantadas pelo governo Temer dependem muito mais de nós, do Congresso, do que da equipe econômica. Essa equipe é, indiscutivelmente, o dream team brasileiro. É um time de ouro. Ninguém discute a competência, a capacidade e a racionalidade dessa equipe. A questão é saber se o Congresso Nacional, na sua diversidade, vai deixar de lado as querelas partidárias e pessoais para se concentrar no essencial. É preciso saber se cada um vai dar sua parcela de contribuição ou se o Congresso vai continuar sendo fisiológico, partidarizado e voltado para interesses regionais, às vezes até pessoais. É preciso decidir se vamos colocar os interesses da sociedade em primeiro plano.
Josias de Souza — Não acha que a fisiologia e os interesses pessoais já prevaleceram no Congresso? 
Simone Tebet: Sim. Mas a minha questão é se vai continuar assim. O governo Temer é frágil hoje por ser um governo de fato, mas não de direito. O impeachment não se encerrou. Consequentemente, ele é um presidente interino.
Josias de Souza — Não lhe parece que as relações fisiológicas entre Legislativo e Executivo tendem a permanecer inalteradas? 
Simone Tebet: Sem a reforma política, essa relação persiste. A pergunta que faço é se nesse momento de crise, diante de projetos importantes para serem votados, se esses projetos serão tratados de forma diferente pelo Congresso. Falo de projetos como o teto que impõe limite para os gastos públicos e a reforma da Previdência. Sem prejuízo da ampla discurssão que os temas devem merecer, esses projetos precisam ser tratados pelo Congresso de outra forma. As eleições de outubro serão decisivas. O recado das urnas vai apontar o novo posicionamento do Congresso. Creio que as urnas vão ser decisivas.
Josias de Souza — Acha que medidas como o teto dos gastos e a reforma da Previdência serão aprovadas? 
Simone Tebet: Acredito que sim. A reforma previdenciária será mais polêmica. E tem que ser. Mexe com o futuro de todos nós. Tem que ter um amplo debate. Mas terá que ser aprovada. Qualquer que fosse o governo, Dilma ou Temer, teríamos que avançar nessa questão. O segredo está na forma como vamos explicar esse assunto para a sociedade. Temos que alcançar o equilíbrio, sem exigir demais de quem já está com expectativa de direito, mas cada um pensando nas futuras gerações, que são os nossos filhos. Precisamos privilegiar as regras gerais, não as exceções. Essa reforma previdenciária é tão urgente quanto a reforma política.
Entrevista publicada no Blog do Josias de Souza – em 23 de agosto de 2016