technology

tv tribuna

recent posts

tv
tv

Deputados do Espírito Santo ganham carros de luxo para rodar o Estado

Os modelos custam R$ 70 mil cada e apenas três dos 30 deputados estaduais abriram mão do benefício



Os deputados do Espírito Santo decidiram trocar os carros populares por carros de luxo para rodar o Estado. Os modelos custam R$ 70 mil cada e a Assembleia Legislativa assinou um contrato de dois anos no valor de R$ 2,2 milhões para alugar os veículos. Dos 30 deputados, apenas três abriram mão do benefício

Machida bebe urina e faz meditação para impulsionar treinamento

Atual campeão dos meio-pesados do UFC (Ultimate Fighting Championship), principal organização de vale-tudo do mundo, o brasileiro Lyoto Machida não se contenta apenas com o treinamento físico e técnico na preparação para os combates. Descendente de japoneses, o lutador utiliza métodos como urinoterapia (na qual bebe diariamente uma quantidade de seu xixi) e a meditação para alcançar melhores resultados.

Machida, 30 anos, diz que a técnica da urinoterapia é uma tradição aprendida em casa.

- É uma coisa que vem dos meus avós, dos meus pais. Foi algo estudado durante a Segunda Guerra por médicos asiáticos, que acreditavam que a urina funcionava como um remédio. Pessoas que tinham sífilis, gonorreia, doença de pele começaram a beber para sobreviver porque não tinham outra opção. Com o passar do tempo, o corpo foi se fortalecendo e eles foram se curando em três, quatro, cinco meses.

Segundo ele, o método tem comprovação científica.

- Houve uma pesquisa em cima disso, que apontou que a urinoterapia age como uma segunda filtragem no organismo. Tudo que você elimina, proteína, vitamina, funciona como um segundo remédio.

O lutador conta que pratica diariamente a urinoterapia, mas a leva "muito mais a sério" quando está em período de treinamento para um combate. Além disso, segue à risca os rituais diários, que incluem meditação e orações.

- Medito diariamente. Ao acordar, faço a urinoterapia, tomo banho, começo a fazer a meditação, me alimento e depois inicio o treinamento.

Mesmo assim, os treinamentos físico e técnico não ficam em segundo plano. Cinco horas diárias são gastas para que o corpo fique na melhor forma possível para aguentar o desgaste de um combate.

Figueroa diz que Valdívia pode voltar ao Palmeiras para ir à Copa

Voltar ao Palmeiras é benéfico não só para o time, mas para a carreira de Valdívia. Esta é a revelação de Figueroa. Amigo e compatriota do meia, o lateral direito que inicia sua passagem pelo clube aponta as vantagens para o camisa 10 se conseguir a liberação do Al Ain, dos Emirados Árabes Unidos, e retornar ao Palestra Itália em 2010.

-Se voltar, ele tem mais possibilidades de ir para a seleção porque o país onde joga hoje em dia não é o melhor para ter ritmo de jogo. Além disso, a torcida e ele têm muita afinidade. O Jorge foi muito importante para o Palmeiras, por isso a torcida gosta muito dele.

Presente nas últimas convocações do técnico da seleção chilena, Marcelo Bielsa, Valdívia tem ficado na reserva na campanha que deve assegurar a volta do time a Mundiais.

Se vencer a Colômbia em Bogotá, a equipe garante classificação para o torneio. Até mesmo um empate garante o país andino ao menos na repescagem contra um representante das Américas Central ou do Norte.

Com a proximidade da vaga, o ex-atleta do Verdão não quer continuar atuando em um futebol de baixo nível como o que encontrou nas Arábias. Palavras de Figueroa, colega do Mago desde os tempos de Colo Colo.

-Joguei com o Valdivia por muitos anos até na seleção. O Jorge tem todas as intenções de voltar ao Palmeiras.

Retornar aos planos de Bielsa também é o projeto do lateral direito. O jogador foi chamado pela primeira vez na Copa América de 2004 e defendeu seu país em dez jogos, marcando um gol em vitória por 3 a 2 sobre o Paraguai. Marcelo Bielsa, no entanto, nunca o convocou. No Palmeiras, o chileno espera ter mais destaque.

-Estou tranquilo, voltando a jogar e me sentir bem em um país de muita competição. Quero começar a jogar mais, ficar bem para o treinador da seleção ficar de olho, porque isso não depende apenas de mim", argumentou o ex-atleta do Colo Colo, de 26 anos.

Viviane Araújo faz sexo todo dia para engravidar

Rainha de bateria do Salgueiro, escola de samba vencedora do carnaval 2009, Viviane Araújo aproveita que os preparativos para a folia ainda estão apenas começando para tentar realizar o sonho de ser mãe: ela anda fazendo sexo todos os dias, como contou ao R7.

Para ajudar, o namorado, o jogador de futebol Radamés, deixou os campos de Dubai, no Oriente Médio, e está de volta ao Fluminense até o fim do ano.

- Agora estamos mais juntos. Está tudo muito bem. Estamos tentando um bebê todo dia. Eu quero muito ser mãe. Mas se não vier agora, tudo bem, espero mais um pouco.

Radamés está morando com ela no apartamento da modelo no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio.

- Radamés também está muito a fim de ser pai.

Apesar de faltar ainda muito tempo para a folia, Viviane já está frequentando os ensaios na quadra do Salgueiro, na Tijuca, todo sábado, há dois meses. Ela é, de longe, a rainha mais presente do carnaval carioca.

- Mas por enquanto ainda estou bem light no samba. Daqui a pouco vai pegar mais.



Governo bloqueia Bolsa Família de mais de 400 mil famílias

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) bloqueou neste mês o Bolsa Família de 401.321 que não declararam a frequência escolar de seus filhos nos dois primeiros bimestres letivos deste ano.

O governo só vai liberar o dinheiro quando essas famílias atualizarem o cadastro. Se isso não acontecer até o fim do ano, os benefícios serão cancelados de vez. O governo mandou uma notificação para as famílias.

CNJ decide pelo afastamento preventivo de desembargador baiano



O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu nesta terça, por unanimidade, afastar preventivamente o desembargador Rubem Dário Peregrino Cunha. Trata-se de uma decisão que impactua de forma inédita na história do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), do qual o magistrado é membro efetivo.

Rubem Dário é acusado de negociar sentenças em processos que tinham prefeitos baianos como réus. O filho do desembargador, o advogado Nizan Gomes Cunha Neto, era intermediário nas negociatas, segundo depoimentos de cinco prefeitos inclusos nos autos da sindicância.

O desembargador teve os benefícios suspensos e responderá a processo administrativo disciplinar (PAD) no CNJ. Ao fim deste procedimento, ele poderá ser aposentado de maneira compulsória e responder a processo criminal na Justiça.

Enquanto o processo tramitar, Rubem Dário não pode pedir aposentadoria. Nem terá direito a gabinete, uso de carro oficial, motorista, nomeação, manutenção ou designação de servidores para cargos de confiança ou funções comissionadas, com exceção da remuneração.

Fatos graves - Na sessão plenária em Brasília, os conselheiros acompanharam o voto do corregedor nacional de Justiça, Gilson Dipp. Relator do caso, ele tomou como base os autos da sindicância instaurada pelo TJ-BA contra o desembargador. A investigação foi realizada por uma comissão especial formada por três membros do tribunal baiano.

A relatora do caso na corte estadual era a presidente Sílvia Zarif. Diante do impasse dos desembargadores em julgar Rubem Dário, já que se tratava de uma colega, o Pleno do TJ-BA enviou, em junho, a sindicância para o CNJ.

“Como se vê, há indícios de fatos graves a indicar que o sindicado adotou medidas que vão de encontro com a condição da magistratura. Os indícios de ilegalidade são suficientes para a instauração de procedimento administrativo”, declarou Dipp. Ele determinou ainda a redistribuição dos processos atribuídos ao desembargador ou convocação de magistrado para sua substituição em relação às atribuições jurisdicionais.

BR 101 tem dois acidentes graves

Dois acidentes na BR-101, no sul da Bahia, causaram três mortes nas últimas 24 horas. Um dos acidentes ocorreu na segunda, por volta das 20 horas, no km 393 da rodovia federal, em Ibirapitanga.

No acidente, envolvendo um Corsa e um caminhão cegonha, morreram Marcone Santos Vieira, de 38 anos, e Amilton Victor de Souza, de 50 anos. Além deles, estava no carro Geanísio Factum de Aguiar, de 39 anos. Ele está internado em estado greve.

Os três viajavam no Corsa de placas JPS-6227, de Salvador. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o veículo era roubado e a placa verdadeira JRM-6270, de Salvador. O motorista do caminhão cegonha, Maurício Moura Vieira, de 30 anos, nada sofreu.

O outro acidente na BR-101 ocorreu por volta das 4 horas desta terça, no trecho entre Itabuna e Itajuípe. O garçom Adilson Oliveira Alves, de 24 anos, morreu minutos depois de sair de um aniversário.

Segundo a Polícia Rodoviária, Adilson avançou na contramão com o Fusca de placas JLE-8061 e colidiu com uma carreta. Um homem identificado como Marcelo Bonfim, que estava com Adilson, está internado no Hospital de Base.

Wagner garante novo aeroporto de Ilhéus

O governador Jaques Wagner se reuniu nestas segunda-feira com o presidente da Infraero, Murilo Barbosa, em Brasília, para discutir detalhes da construção do novo aeroporto de Ilhéus. O investimento poderá ser de até R$ 200 milhões.

Murilo Barbosa, que assumiu o cargo recentemente, garantiu que os estudos iniciais da Infraero indicam que a construção do novo aeroporto terá projeto para passageiros e cargas, evitando gargalos na exportação da produção.

O novo aeroporto terá nível internacional, com duas pistas de 3 mil metros. Além do governador Jaques Wagner, participou da audiência a secretária da Casa Civil do Estado, Eva Maria Chiavon.

"Mostramos ao presidente da Infraero que essa obra é muito necessária para a integração entre diversos empreendimentos fundamentais à economia baiana e ao crescimento planejado e sustentável da região", disse o governador.

A construção do aeroporto de Ilhéus foi resultado de acordo de cooperação assinado entre o estado e a Infraero. Ele prevê que o investimento para todas as obras será feito pela Infraero, incluindo o Estudo de Impacto Ambiental.

Caberá ao governo da Bahia os estudos e projetos de engenharia da infraestrutura viária e básica (energia, água, saneamento, telefonia e dados). Os estudos custarão R$ 5 milhões e definirão o montante do investimento por parte da Bahia.

O governo da Bahia encaminhou à Infraero pedido para que seja pago pelo Ministério da Defesa os R$ 10 milhões referentes à desapropriação da área. A Infraero repassou o pleito ao Ministério da Defesa e aguarda uma resposta.

Sobre o atual aeroporto, Murilo Barbosa informou que está mantido o mês de outubro para a liberação de vôos noturnos. Segundo ele, a pista de pouca extensão para as aeronaves atuais impede a possibilidade de expansão do atual aeroporto.

Sérgio Guedes entrega o cargo de técnico à diretoria do Bahia

A derrota de 2 a 1 para o Duque de Caxias, no Pituaçu, nesta terça-feira deixou o técnico do Bahia, Sérgio Guedes, profundamente decepcionado. Tanto que ele após o jogo, que colocou o Tricolor baiano na zona de rebaixamento da Série B, disse que entregará o cargo à diretoria e pelas suas palavras se não sair deve mudar sua forma de comandar a equipe.

- Eu trabalho com motivação, com entusiasmo e talvez seja o momento de se rever isso. E refletir não só o Sérgio profissional, mas o Bahia de uma maneira geral, não prevalecer o que eu acho neste momento. Sou uma pessoa equilibrada e tranquila, mas chega um momento que você precisa de repente refletir e achar que alguém que chegue mais duro e que bata e que questione possa trazer uma mudança. Talvez seja o momento de mudar. - disse o treinador.

Sérgio fez questão de ressaltar a grandeza do Bahia e de dizer que não estava pedindo demissão:

- Não estou dizendo que não vou continuar, e sim que talvez seja o momento de mudar. E, às vezes, a situação seria melhor se balançar o comando técnico. Essa situação me incomoda muito e me desagrada tudo aquilo que acontece, porque a gente trabalha e se dedica muito. Os atletas se dedicam muito e às vezes a coisa não acontece. Qual é a razão disso? É preocupante a situação e eu preciso como comandante assumir a responsabilidade e dizer que talvez seja o momento de uma mudança.

Outro que deve entregar seu cargo é o gestor de futebol do clube, Paulo Carneiro, ex-presidente do Vitória. Logo após o jogo um torcedor do Bahia passou mal e foi atendido pela ambulância que fica dentro do estádio.

Samoa alerta para novo tsunami

As autoridades de Samoa lançaram nesta quarta-feira (30) um novo alerta de tsunami, horas depois que um forte terremoto no Oceano Pacífico provocou um primeiro e devastador tsunami que atingiu o arquipélago.

Saiba mais sobre Samoa e Samoa Americana
VC no G1: Está na região atingida? Mande sua foto, seu vídeo ou seu relato

As mesmas autoridades estimam em mais de 100 mortos após o fenômeno atingir a região.

“A sirenes tinham deixado de tocar depois que a polícia nos orientou para irmos às partes altas e longe do mar, quando houve um novo alerta de tsunami”, disse Cherelle Jackson, um habitante do arquipélago. “Tudo começou de novo”, lamentou.

Apesar do novo alerta, o Centro de Alerta de Tsunamis no Pacífico não lançou nenhuma nova advertência. O Centro de Estudos Geológicos dos Estados Unidos também não registrou alterações na região.

Lula sanciona reforma eleitoral e libera debate entre candidatos na web

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta terça-feira (29) a reforma eleitoral aprovada pelo Congresso e vetou a parte da lei que igualava as regras para debates entre os candidatos na web às regras da televisão e rádio.

Com o veto do presidente Lula ao artigo que tratava das regras dos debates, apenas as emissoras de rádio e TV, que são concessões públicas, ficam obrigadas a convidar todos os candidatos que disputam um mesmo cargo para realizar debates. Apesar de serem obrigadas a convidar todos os candidatos, as emissoras podem realizar debates com a concordância de até 2/3 dos concorrentes. A web está livre dessas regras.

Lula manteve o texto aprovado pelo Congresso na parte que prevê a exigência de impressão de votos em um percentual de urnas em todo o país nas eleições de 2014. O presidente não levou em conta o pedido de alguns ministros, como o da Defesa, Nelson Jobim, para vetar a proposta dos deputados. Jobim chegou a classificar a mudança de “retrocesso”.

O presidente manteve a proposta aprovada do voto em trânsito no pleito para presidente da República. Com isso, o eleitor fora do seu domicílio eleitoral poderá comparecer a uma sessão eleitoral e votar em um dos candidatos à Presidência. Essa mudança ainda será objeto de regulamentação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e vale apenas para votação nas capitais.

Outros vetos

Lula vetou também uma proposta do Congresso que previa o parcelamento de multas eleitorais junto à Receita Federal. O Ministério da Fazenda pediu o veto deste artigo porque o órgão responsável por esse parcelamento, já previsto na lei eleitoral anterior, é a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

O presidente também vetou um novo cálculo proposto pelo Congresso para restituição via Imposto de Renda para as empresas de radiodifusão pela veiculação da propaganda eleitoral gratuita.

Com o veto, as emissoras continuam sendo obrigadas a informar à Receita o valor da publicidade comercial veiculada no dia anterior à veiculação da propaganda eleitoral e a receita obtida com venda da mesma grade publicitária naquela faixa de horário 30 dias antes e 30 dias depois da propaganda eleitoral.


Suspeita de comandar "boca" levou 5 tiros

O envolvimento com o tráfico de drogas é apontado como a motivação para mais dois assassinatos neste final de semana em Itabuna. Na tarde de sábado, na Favela do Bode, Centro Comercial, foi assassinado Adriano Mendonça dos Santos, 27 anos.


De acordo com a polícia, Adriano era usuário de drogas e foragido da cadeia pública de Itabuna. Ele foi atingindo por pelo menos dez tiros e morreu no local. Até o início da noite de segunda, a polícia não tinha pistas dos assassinos.

Já no domingo, por volta das 15 horas, perto do Hospital de Base de Itabuna, foi assassinada Maria Fernanda dos Santos, a "Nanda", de 27 anos. Ela estava em um terreiro de candomblé quando um casal chegou em uma moto.

A mulher, que ainda não foi identificada, chamou pelo nome de Nanda. Quando ela atendeu, o motoqueiro fez cinco disparos. Nanda era acusada de comandar o tráfico de drogas no bairro Novo Horizonte.

Nanda teria herdado a "boca de fumo" depois do assassinato de seu irmão, José Fernandes Santos, o "Bida". O suspeito de ter encomendado a morte de Nanda é um homem identificado como Zé Pio.

José Fernandes Santos, o "Bida", foi o traficante que comandou por muito tempo a boca de fumo daquela área e era irmão de Nanda. Ele morreu em confronto com a polícia.

Denúncias de moradores e vendedores que trabalham na área dão conta de que o bando comandado por Nanda estaria em constante guerra com quadrilhas rivais dos bairros Corbiniano Freire e São Lourenço.


Micheletti diz a Lula para não se preocupar com embaixada

TEGUCIGALPA - O presidente de facto de Honduras, Roberto Micheletti, mandou nesta segunda-feira, 28, um "forte abraço" ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e garantiu a ele que nem a polícia ou o Exército entrarão na Embaixada do Brasil. "Quero enviar a Lula um forte abraço com o carinho e o respeito que temos sempre em relação a todos os países do mundo, e peço a ele para que não se preocupe, porque nossa polícia e nosso Exército não vão entrar à força em sua propriedade", disse Micheletti em uma entrevista coletiva.

Veja também:

linkPresidente do Congresso de Honduras pede fim de estado de sítio

linkGoverno brasileiro diz que há pouca pressão mundial sobre Honduras

linkGoverno de facto invade rádio e tira TV do ar em Honduras

linkEntrevista Aliás: Gigante ou anão diplomático?

lista Ficha técnica: Honduras, pobre e dependente dos EUA

lista Eleito pela direita, Zelaya fez governo à esquerda

especialCronologia do golpe de Estado em Honduras

especialEntenda a origem da crise política em Honduras

mais imagens Veja galeria de imagens do retorno

video TV Estadão: Jornalistas do 'Estado' discutem impasse

video TV Estadão: Ex-embaixador comenta caso Zelaya

O governo interino deu no sábado um prazo de dez dias para que o Brasil resolva a situação do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, que foi derrubado há três meses e está há uma semana na embaixada brasileira. Além disso, o governo de fato havia informado que se o prazo terminar sem que as exigências sejam atendidas, a embaixada perderá seu status diplomático, e passando a ser considerada como um escritório particular.

"Não fizemos absolutamente nada que vá contra a lei do país ou os tratados internacionais, é somente uma advertência", afirmou. Segundo Micheletti, a "advertência" diz respeito ao que seu governo considera "injusto", que "um homem que pediu abrigo" - em alusão a Zelaya - "incite a violência pela janela."

A embaixada do Brasil está cercada há uma semana por policiais e militares que não permitem o acesso à região, exceto por um número reduzido de pessoas que ingressam por razões logísticas. "Embora não nos reconheçam, nós respeitamos seus direitos", afirmou Micheletti, ao dizer que a embaixada brasileira se encontra na mesma situação que as outras representações diplomáticas no país.

Greve dos bancários ganha força na Bahia

Sem negociação com os patrões, os bancários decidiram manter a greve por tempo indeterminado em todo o país. Em Salvador, a categoria fará uma nova assembleia nesta terça-feira (29), às 18h, no Ginásio de Esportes, na ladeira dos Aflitos, para avaliar e decidir os rumos do movimento que entra hoje no seu sexto dia (4º dia útil).

A adesão ao movimento grevista é grande em Salvador e no interior. Segundo dados colhidos pelo Sindicato dos Bancários da Bahia, até ontem, foram fechadas 334 unidades bancárias no estado, com a paralisação de agências que não tinham aderido à greve, a exemplo das unidades de Itapuã, Comércio, Barra, avenida Tancredo Neves, Instituto do Cacau, Porto Seco Pirajá e São Pedro.

A greve também está crescendo em todo o Brasil com o fechamento de 5.786 agências nos 27 estados e no Distrito Federal.

Com data base em 1º de setembro, os bancários decidiram entrar em greve por tempo indeterminado na última quinta-feira (24), em consequência da falta de acordo com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), que após cinco rodadas de negociação, apresentou proposta considerada insuficiente para a categoria.

Os bancários reivindicam 10% de reajuste salarial (reposição da inflação mais aumento real), maior participação nos lucros e resultados (PLR), garantia de emprego e melhores condições de trabalho.

Publicada: 29/09/2009 | Atualizada: 29/09/2009

Casal é executado em Vitória da Conquista

Segurança
Casal é executado em Vitória da Conquista
Publicada: 29/09/2009 | Atualizada: 29/09/2009

Samanta Uchôa

Duas pessoas foram assassinadas dentro da própria casa, no bairro Vila América, no município de Vitória da Conquista.

Segundo a polícia civil, as vítimas foram Ademildo Pereira dos Santos, de 25 anos, e Regina Evangelista Moreira, de 38 anos. As portas da casa estavam arrombadas e nada foi roubado. A polícia suspeita que o crime foi execução.

FGV: IGP-M tem em setembro primeira alta em 6 meses

Depois de seis meses consecutivos, o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) saiu do terreno negativo e voltou a apresentar elevação. Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o IGP-M subiu 0,42% em setembro, após registrar deflação de 0,36% em agosto. A FGV anunciou ainda os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-M de setembro.

O Índice de Preços por Atacado (IPA) subiu 0,53% este mês, ante queda de 0,61% apurada no mês passado. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) acelerou para 0,28% em setembro, ante alta de 0,16% em agosto. Já o Índice Nacional de Custos da Construção (INCC) registrou avanço de 0,07%, ante leve alta de 0,01%, na mesma base de comparação.

Até setembro, o IGP-M acumula deflação de 1,61% no ano e de 0,40% nos últimos 12 meses. O IGP-M é muito usado para cálculo de reajustes nos preços de aluguel. O período de coleta de preços para cálculo do indicador deste mês foi do dia 21 de agosto a 20 de setembro.

Em jantar de aniversário do clube, Timão coloca Bambi tricolor no telão

Durante o jantar de comemoração pelos 99 anos do Corinthians, realizado na noite de segunda-feira na sede do clube, um momento causou furor entre os convidados, mas deixou a diretoria numa saia-justa. Num dos muitos vídeos institucionais exibidos nos telões, um desenho animado simulava uma partida de futebol: de um lado, sempre com a bola no pé, o bonequinho representando o Timão; do outro, levando vários dribles, um Bambi de uniforme branco com listras pretas e vermelhas, assim como o do rival São Paulo.

Um dia após o polêmico empate de 1 a 1 no clássico, quando os corintianos se sentiram prejudicados – um gol de Dentinho foi anulado e outro de Washington, apesar de impedido, validado – os torcedores que estavam na festa deliraram com a sequência de olés que o Bambi tomava no desenho do telão.

Mas assim que o presidente Andrés Sanches subiu ao palco para discursar, uma das primeiras providências que tomou foi se desculpar.

- Eu queria pedir desculpa pelo bambizinho que apareceu no vídeo. Isso não passou por mim antes de ser exibido. Se eu tivesse visto, jamais teria autorizado. Peço desculpa principalmente ao Adalberto (Baptista), diretor de marketing do São Paulo, que está aqui - disse Andrés.

Nem só corintianos estavam na festa. Além do dirigente são-paulino, um ilustre palmeirense marcou presença e também discursou: o governador de São Paulo, José Serra. Durante a sua fala, que era timidamente interrompida por gritos de “fora, Palmeiras”, o político foi gentil.

- Se não existisse o Corinthians, não teria graça ser palmeirense.

Outras autoridades também foram à comemoração: o senador Álvaro Dias e a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy. Entre os representantes do futebol do clube, o técnico Mano Menezes e o zagueiro William marcaram presença.


Apesar de ter perdido perdão aos são-paulinos pela gafe no vídeo, Andrés Sanches deu uma cutucada quando estava para encerrar o seu discurso.

- Meu mandato vai até 2012. E eu digo: até lá, como mandante, no Morumbi jamais! - completou, reiterando a sua posição de não jogar mais no campo do inimigo. A não ser quando o mando for do São Paulo.

Os convidados aplaudiram de pé e começaram a cantar o hino do Corinthians.

Assaltantes fazem reféns em rua da Zona Sul do Rio

Um prédio na Rua Francisco Otaviano, na altura do Arpoador, na Zona Sul do Rio, foi cercado pela polícia na manhã desta terça-feira (29). De acordo com informações iniciais, homens armados fazem reféns no local.

A rua fica na divisa entre os bairros do Arpoador e Copacabana.

Está na região do assalto? Envie fotos e vídeos ao G1.

Segundo a polícia, pelo menos 10 carros do 23º BPM (Leblon), do 19º (Copacabana), do Bope e da Polícia Civil estão no local. Um carro do Corpo de Bombeiros e uma ambulância do Samu também estão no local. Ainda não há informações sobre feridos.

Com o fechamento da rua, o congestionamento na orla de Ipanema chega ao posto 10.

Assalto na Tijuca

A comerciante Ana Cristina Garrido foi feita refém durante um assalto na Tijuca, Zona Norte do Rio, na sexta-feira (25). O criminoso morreu a caminho do Hospital do Andaraí.

O suspeito foi identificado como Sérgio Ferreira Pinto Júnior, de 24 anos. De acordo com a delegacia que investiga o caso, 20ª DP (Vila Isabel), ele tinha duas passagens pela polícia.


Dono de loja que explodiu em Santo André deve se apresentar hoje

O sobrinho do dono do depósito de fogos de artifício que explodiu na quinta-feira (24) em Santo André, no ABC paulista, disse que o tio deve se apresentar ainda nesta segunda-feira à policia. Sandro Castelani desapareceu desde o dia do acidente. O sobrinho disse que ele ficou com medo de ser agredido pelo vizinhos.

Na explosão, duas pessoas morreram e 12 ficaram feridas. A Defesa Civil também interidtou várias casas na região.

O sobrinho disse que a explosão foi causada depois que Castelani subiu no telhado para consertar uma antena. A prefeitura de Santo André informou que a loja não tinha autorização para vender fogos de artifício.

eraldo Luís e Franciely: "Estamos namorando"

O apresentador Geraldo Luís e a atriz Franciely Freduzeski afirmaram para o R7 que estão namorando.

O casal recebeu a reportagem no começo da tarde deste sábado (26), na casa do apresentador, em um condomínio fechado em Barueri, na Grande São Paulo.

Depois de fazer carreira como radialista e repórter policial em sua cidade natal, Limeira (SP), Geraldo tornou-se apresentador da Record há dois anos. Em julho deste ano, deu um passo importante ao ganhar o programa diário de auditório Geraldo Brasil.

O ano de 2009 também foi de reviravolta na carreira da paranaense de Laranjeiras do Sul Franciely. Após trabalhar em novelas e seriados na Globo e na Rede TV!, entrou para o reality show A Fazenda, do qual foi a primeira eliminada, e assinou contrato de três anos com a Record.

Enquanto os dois conversaram com o R7, Lucas, filho de seis anos de Franciely, e João Pedro, filho de nove anos de Geraldo, brincavam no jardim da casa. "As crianças dispensaram apresentações", contou o casal.

Geraldo afirmou que foi difícil conseguir o sim da ex-participante de A Fazenda e que ela tem o sonho de casar "de noivinha". Desconfiada, Franciely mediu cada palavra e disse estar ainda no processo de conhecimento do novo namorado. O apresentador fez questão de responder a quem malda de suas intenções com a atriz, desde que declarou seu amor ao vivo para todo o Brasil: "Se tivesse feito aquilo em rede nacional e não fosse verdadeiro, eu teria sido um palhaço. Fiz por amor! Com amor não se brinca".

Confira os principais trechos da entrevista.

R7 - Vocês estão namorando?
Franciely Freduzeski - Sim, estamos namorando.
Geraldo Luís - Estamos nos conhecendo, acima de tudo. Não dá para a gente brincar com o sentimento dos outros, né? Chegaram até a falar para ela: 'É reality, né Franciely?' Tem gente que fala que é uma farsa, uma promoção. Primeiro, nem eu nem ela precisamos de promoção para nada.
Franciely - Ele não precisa de mim nem eu preciso dele. As pessoas confundem muita coisa.
Geraldo - Ouvimos todas as atrocidades. Principalmente de pessoas do meio. Falaram que eu estaria brincando com ela. Ela não precisa de mim porque ela é uma atriz. Eu sou um recém-apresentador que a Record está acreditando. Então, quando fiz aquela declaração de amor, o pessoal achou que era palhaçada. Acharam que era 'pegadinha do Geraldão'. Poxa, no programa ao vivo o cara chega e fala: "eu estou apaixonado por uma pessoa". Eu te pergunto, você acreditaria?
Franciely - Nem eu acreditei.

R7 - E era ou não uma brincadeira?
Geraldo - Foi uma declaração de amor e continua sendo.
Franciely - Eu estava no Rio, quando ele falou. Pensei: esse homem está doido, porque, imagina, eu nunca havia tido qualquer tipo de contato com ele. Só de 'oi e tchau'. E aí ele fala que está apaixonado. Eu dei risada.

R7 - E aí?
Geraldo - Liguei para ela depois de ter feito a declaração ao vivo. Nem meu diretor, o Vildomar Batista, entendeu aquilo. Ele também achou que era brincadeira. Liguei e falei que estava mesmo apaixonado e, que, naquele momento, não era o apresentador, mas o Geraldo. Como eu tenho a sorte de ter um programa, pensei: 'qual é o melhor lugar para eu fazer essa declaração? Ela pelo menos vai tomar um susto e perguntar quem é esse doido?'.

R7 - Mas quando surgiu essa paixão toda?
Geraldo - Sabe aquela história de amor à primeira vista? Quando a olhei, bateu uma coisa muito forte. Mas não é só por ela ser uma das mulheres mais desejadas do Brasil, linda e maravilhosa. Se fosse só isso, iria passar. Mas a encontrei a segunda vez e começou a ficar mais forte. Cada vez que a via era mais forte a batida. Era como se a conhecesse. Mas ela nem olhava na minha cara. Ela tem esse jeitinho metido.
Franciely - Mas eu não tinha nenhum interesse.

R7 - Mas então, Franciely, quando resolveu se interessar?
Franciely - Foi quando eu resolvi dar ouvidos ao que ele tinha para me falar. Porque primeiro ele me deu aquele susto no programa. Quando ele me ligou à noite e conversou sério comigo, ali, eu comecei a acreditar. Comecei a vê-lo de uma forma diferente. Aí a gente foi dando oportunidade um ao outro.

R7 - Vocês estão juntos há quanto tempo?
Geraldo - Há um mês e quatro dias. O legal é que foram acontecendo coisas muito naturais. Fui conhecendo a Fran como mulher, como mãe. Ela é uma pessoa muito fechada. Duvida de tudo. E eu acho muito bom ela duvidar.
Franciely - Mas eu tenho de duvidar. As coisas não são assim de uma hora para outra. Tento eu quanto ele viemos de relacionamentos que não deram certo. Então, você não quer mais errar na sua vida. Então, tenho todas as minhas vírgulas e pontos de interrogação. Eu não gosto dessa superexposição da minha vida pessoal. Eu odeio isso. Sou uma atriz que já fez vários trabalhos. Não quero que fiquem falando da minha vida só porque estou namorando o Geraldo. Para mim, é como se ele fosse o 'Zé da Esquina'. Ele é uma pessoa mais do que comum.

R7 - Como os filhos dos dois estão vendo essa relação?
Franciely - Meu filho é super tranquilo. Ele quer saber se a mãe dele está bem. Está tudo muito recente. Então, as coisas estão acontecendo ainda.
Geraldo - Os dois já se conhecem e já ficaram amigos. São crianças dóceis que dispensaram apresentações. Quem precisa de apresentação ainda somos eu e ela.

R7 - Vocês foram casados antes?
Franciely - Fui casada por oito anos.
Geraldo - Não cheguei a oficializar a relação, mas fui casado por 13 anos. Toda separação dói muito. Para recomeçar é muito difícil. Confiar, aprender a amar... Ela é uma grande mulher. Está me dando uma tranquilidade grande. Fiquei dois anos sozinho. Não saí à caça de ninguém, não ficava pegando ninguém. Estou realmente apaixonado por ela.

R7 - Você acredita nessas declarações, Franciely?
Franciely - Sim. Tanto que estou aqui. No começo achei que era brincadeira. Vi aquele jeitão popular na televisão. Depois, me permiti conhecer o homem detrás de tudo isso.

R7 - Vocês se dão bem?
Geraldo - Sim. Mas ela é teimosa. Tem um gênio do cão.
Franciely - Eu não tenho um gênio do cão. Eu tenho personalidade. É diferente. Eu tenho opinião.

R7 - Vocês estão morando juntos?
Geraldo - Não. Ela mora no Rio e eu, em São Paulo. Estamos nos dando muito bem com isso. As amizades dela são no Rio. Mas é bom, porque a distância dá saudade.
Franciely - Não largo minha casa no Rio porque sou atriz e gravo lá. E também é bom cada um ter seu cantinho, né?

R7 - Vocês já pensam em casamento?
Franciely - Nossa, vocês são rápidos demais. Tudo pode acontecer!
Geraldo - Olha, eu vou te contar uma coisa. Ela falou que tem vontade e que nunca casou de noivinha, de véu e grinalda. Nem eu. Agora, se vai dar casamento eu ainda não sei. Mas sei que vai dar um relacionamento muito legal.

R7 - Vocês já conhecem a família um do outro?
Franciely - Minha família mora em Curitiba. Ainda não tivemos tempo.
Geraldo - É só convidar que eu vou na hora [risos].

R7 - Você não treme nas bases com o fato de ter de encarar a família dela?
Geraldo - Não. As intenções são as melhores. A verdade é muito clara. Estou sendo muito verdadeiro no sentimento que estou tendo. Se tivesse feito aquilo em rede nacional e não fosse verdadeiro, eu teria sido um palhaço. Para que fazer isso? Não fiz isso para aparecer. Fiz por amor! Porque me apaixonei. Ainda é uma relação de medo tanto dela quanto meu. Ela não quer errar. Nem eu. Ela não quer mentiras. Nem eu. Dá para brincar com muitas coisas na vida. Com o amor não dá para a gente brincar.

Ciro deve oferecer vice ao PDT para ter tempo na TV

O pré-candidato do PSB à Presidência, deputado Ciro Gomes (CE), tem um trunfo para fechar a aliança com o PDT do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, e viabilizar sua candidatura com maior espaço na propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. Um aliado de Ciro que acompanha as negociações da corrida sucessória informa que o pré-candidato deve oferecer o posto de vice em sua chapa justamente ao ministro Lupi, que é presidente licenciado do PDT.

Além dessa oferta aos pedetistas, o PSB de Ciro trabalha para reeditar o bloquinho que funcionou na Câmara com o PDT e o PC do B porque só tem garantido 1 minuto e 11 segundos em cada um dos dois blocos diários de 25 minutos de propaganda eleitoral na TV. O tempo pode dobrar com a divisão da sobra dos minutos que couberem aos partidos que não apresentarem candidatos a presidente. Ainda assim é pouco.

O desafio de fortalecer o palanque eletrônico não é o único que ocupa os aliados de Ciro. O PSB não pode confrontar com o PT da pré-candidata e ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) e tem de contar com a "compreensão" do governo para fechar as alianças com partidos aliados ao presidente Lula.

"Temos de montar o palanque do Ciro sem desmontar o palanque da Dilma", resume o senador Renato Casagrande (PSB-ES), certo de que é possível manter um bom relacionamento na base governista para que os aliados estejam juntos no segundo turno da corrida presidencial. "Mesmo com duas candidaturas teremos diálogo nos Estados." Casagrande é um dos que veem no PDT um bom parceiro para compor a vice com os socialistas. Adverte, porém, que por enquanto não existe uma proposta oficial de seu partido à direção pedetista.

Um interlocutor comum de Ciro e Lupi aposta que o ministro aceitaria o convite e acrescenta que ele tem autonomia para fazê-lo, na condição de presidente nacional licenciado do PDT. Pondera, no entanto, que Lupi precisará obter o aval de Lula para fechar o acordo. O mesmo interlocutor explica que o ministro do Trabalho não faria nada que contrariasse uma determinação presidencial.

Em qualquer cenário, Ciro terá de enfrentar a resistência de alguns setores do PDT. O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) é um dos que admitem que a parceria "faz sentido" dentro do processo eleitoral, mas diz que tem dificuldades para compreender a candidatura Ciro como uma alternativa progressista para o País. Ele defende a tese de que a melhor opção para fortalecer o partido seria o lançamento de um nome próprio para disputar a Presidência, em vez da candidatura a vice.

Vários pedetistas também se queixam de que a experiência da última eleição não foi boa e dizem que Ciro anunciou apoio a Lula no segundo turno de 2002 sem antes consultar os companheiros. "O discurso dele passa a ideia de um homem conservador e emocionalmente instável", diz Cristovam. "É um discurso sobre taxa de crescimento que faz com que ele passe a ideia de candidato a ministro da Fazenda, e não de um estadista que defende uma inflexão na história do Brasil."

Aposentado deve trocar empréstimo por poupança

Praticamente metade dos aposentados tem a folha de pagamento comprometida com empréstimos consignados, que se tornam atrativos por causa das taxas de juros reduzidas. Os especialistas alertam que a abundante oferta de crédito aos idosos é perigosa para o orçamento pessoal e deve ser trocada pelo investimento em aplicações financeiras.

Os dados mais recentes do Ministério da Previdência Social apontavam que 12,6 milhões dos aposentados haviam contratado crédito consignado, em novembro do ano passado, para um total de 25 milhões de pensionistas.

“As pessoas de terceira idade têm problemas para administrar sua renda que geralmente têm origem na ausência de educação financeira no início da vida”, diz o educador financeiro Reinaldo Domingos, autor de Terapia Financeira (Editora Gente).

Pouco dinheiro - Para Marcos Barroso, representante da Casa do Aposentado, o problema é o valor reduzido da maioria das aposentadorias. “Muitos idosos acabam aderindo ao empréstimo consignado, principalmente para ajudar familiares, e assim vão se endividando”.

Segundo Domingos, é possível poupar mesmo assim, organizando os gastos do dia a dia. “O aposentado tem que estabelecer seus sonhos de consumo. Uma viagem, um carro ou um presente para o filho ou neto, por exemplo. A partir desses objetivos, ele deve economizar uma quantia por mês, para pagar à vista um desses gastos”, explica.

Diagnóstico - A recomendação do especialista é, primeiro, a realização de um diagnóstico financeiro. O aposentado deve registrar quanto ganha e quanto gasta. Nesse ponto, é importante realizar um levantamento de todas as pequenas despesas realizadas no mês, como gorjetas ou remédios. Detectado todo o orçamento, a dica é ver quanto é possível economizar em um mês e colocar esse montante em alguma aplicação financeira.

“O idoso deve priorizar o dinheiro destinado à realização do seu sonho. Para isso, ele precisa se esforçar com o objetivo de enxugar as pequenas despesas”, afirma Domingos.

O crédito consignado só é recomendado para despesas essenciais, como alimentação, que não podem ser adiadas. De outra forma, o melhor é poupar para pagar à vista.

Lula diz que "não aceita ultimato de governo golpista" de Honduras

O Brasil "não aceita ultimato de um governo golpista", declarou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em resposta ao prazo de dez dias dado pelo Governo de Roberto Micheletti para definir o status de Manuel Zelaya, que está na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa.

Micheletti dá prazo ao Brasil para que defina status de Zelaya
Lula diz que Conselho de Segurança "perdeu relevância"
Para Lula é preciso impedir retrocesso nas democracias
Veja a cronologia da crise política em Honduras
Veja galeria de imagens do conflito hondurenho

Em entrevista coletiva durante a 2ª Cúpula América do Sul-África (ASA) neste domingo (27), Lula disse que o deposto líder hondurenho é "o presidente legítimo de Honduras" e que seu status é "hóspede da Embaixada do Brasil" em Tegucigalpa.


Presidente Lula afirmou que "não negocia com golpistas" de atual governo hondurenho, e que solução é que saiam do poder
Presidente Lula afirmou que "não negocia com golpistas" de atual governo hondurenho, e que solução é que eles saiam do poder

O governante brasileiro respondeu, assim, ao ser perguntado pelo prazo "não maior de dez dias" dado por Micheletti ao Brasil para que defina o status de Zelaya, que está na sede diplomática brasileira desde que voltou a Honduras, na segunda-feira da semana passada.

"Zelaya foi expulso do poder da maneira mais vergonhosa possível", disse Lula.

"Para mim, a solução é simples: os golpistas devem sair do palácio presidencial", afirmou Lula, acrescentando que "Zelaya deve retornar ao poder e se deve convocar eleições".

"Se os golpistas convocarem eleições, poucos países reconheceriam [os resultados]", apontou.

Também ressaltou que, se "[os golpistas] entrarem à força [na embaixada do Brasil], violariam todas as normas internacionais".

"Poucas vezes na história houve tanto consenso na postura internacional contra o governo golpista", disse Lula, em seu encontro com os jornalistas pouco antes de partir para Brasília, após participar da Cúpula ASA na venezuelana Isla Margarita.

Em comunicado emitido ontem à noite, o Ministério de Exteriores do Governo no poder em Honduras indicou que "novamente solicitava ao governo do Brasil que defina o status do senhor Zelaya, dentro de um prazo não maior de dez dias".

"Se não for assim, seremos obrigados a tomar medidas adicionais", acrescentou a nota.

HORÁRIO DE VERÃO COMEÇA DIA 18 DE OUTUBRO

Com o apoio do Sebrae de Itabuna, Sindicato dos Contabilistas do Sul da Bahia e Conselho Regional de Contabilidade acontece amanhã (25), a partir das 9 horas, o III Encontro Mulher Contabilista, no auditório da Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC). A primeira palestra, às 9h45min, “A internacionalização da contabilidade e seus Impactos nas empresas públicas e privadas” será proferida pela doutora em engenharia de produção pela Universidade Federal de Santa Catarina e mestre em contabilidade pela Universidade de São Paulo, Célia Sacramento, conselheira do CRC-Bahia. Às 11 horas haverá o painel “Aplicação da Lei Maria da Penha na região sul-baiana”, coordenado por Ângela Lopes, titular da Delegacia Especial das Mulheres de Ilhéus e “Prêmio Sebrae mulher de negócios”, por Etelvina Bonfim, de Ipiaú, vencedora da premiação, em nível estadual, em 2007, na categoria “Negócios coletivos”, e Janete Lainha, de Ilhéus, finalista, em 2008, na categoria “Pequenos negócios”, sob a mediação da contadora Iara Luísa de Dórea, conselheira do CRC e coordenadora do projeto Mulher contabilista. Às 14 horas, Juliano Silva Santos, inspetor do Tribunal de Contas dos Municípios faz palestra sobre “Governança corporativa e orçamento participativo” e às 15 horas a deputada federal Alice Portugal (PCdoB) aborda o tema “Evolução e perspectivas da mulher na política brasileira”. Às 16h30min, César Almeida, diretor da Dale Carnegie Training Of Bahia, enfoca “Habilidades interpessoais para profissionais de sucesso” e às 17h20min homenagens ao Dia do contabilista.

Geraldo Simões, deputado federal


A Ceplac precisa ser mais ousada"
diz Geraldo Simões numa entrevista exclusiva concedida ao A Região. O deputado federal petista e ceplaqueano acredita que o órgão precisa liderar o processo de intermediação com os bancos para que o dinheiro do PAC do Cacau chegue logo aos produtores.
No dia da entrevista, Geraldo acabava de indicar o novo diretor da Sudic, mas corria o risco, confirmado dias depois, de ver Moacir Smith Lima exonerado da Biofábrica de Cacau.
Na entrevista, ele fala do PMDB, de Azevedo, de projetos para a região e afirma que Ilhéus não se preparou para o novo momento de grandes investimentos.

A Região - As ações do PAC do Cacau não estão lentas demais?
O Conselho Monetário Nacional deu o terceiro prazo para o produtor renegociar dívidas, enquanto continuavam as adesões ao PAC do Cacau e as negociações de prazo e juros. Eu acho que dá para trabalharmos com o que temos, enquanto se discute uma proposta melhor. O que não dá é este dinheiro, R$ 2,52 bilhões ficar parado esperando um projeto de renegociação perfeito.

AR - E, afinal, o que está ‘empacando’ o PAC?
A Ceplac deveria tomar uma decisão e começar a procurar o produtor para renegociar a dívida. Já perdemos o dinheiro de custeio da safra neste ano. Tem 20 anos que a Bahia não faz custeio. É preciso agilidade para que, a partir de janeiro, os produtores possam pegar a verba.

AR - A dívida não empacou a partir da nota técnica da Ceplac?
O que a Ceplac está querendo é aumentar o desconto do grande. Não sou contra, não. Mas meu receio é essa perda de tempo. Sou favorável a começar como está e trabalhar por mudanças. Não se pode inviabilizar a renegociação para os pequenos produtores.

AR - Como avalia o fato da Ceplac-Bahia receber menos recursos do que a do Pará?
Depois de 50 anos de Ceplac, nós temos um diretor que não é, genuinamente, da região. É do Pará. Isso deixa as pessoas de orelha em pé. A Bahia produz aproximadamente 70% do cacau do Brasil. A Ceplac é um órgão do sul da Bahia que atua no norte do Brasil. Eu acho que a diretoria não pode perder isso de vista.

AR - E a Bahia sai perdendo investimentos...
Eu estive no Pará na semana passada. As informações que tenho é que, se a gente não tomar providências na Bahia, o Pará pode ultrapassar nosso estado em cacau, embora eu queira aprofundar isso para sermos o maior produtor de chocolate do Brasil.

AR - Essa é a tendência?
Olhe, um quilo de cacau custa R$ 6, mas um quilo de chocolate, a depender de sua qualidade, pode variar de R$ 100 a R$ 400. As fábricas de chocolate do PAC do Cacau são uma mudança na cabeça da gente. São 250 anos vendendo amêndoa de cacau e, de repente, passamos a produtores de chocolate. Itamaraju já inaugurou fábrica para produção de massa de chocolate. Quem vende isso aqui é Cargil, Barry Calebaut... A região não tem uma fábrica de chocolate. O Paraná tem 12, São Paulo tem 100 e o Rio Grande do Sul, outras tantas.

AR - Qual é o impacto econômico dessa medida?
Toda a cadeia do cacau, hoje, no sul da Bahia, rende R$ 300 milhões por ano. Transforme isso em chocolate e teremos R$ 4 bilhões. É uma grande mudança de mentalidade. É a riqueza gerada aqui. O produtor ganha, o município ganha com a geração de impostos. Imagine o impacto de tudo isso.

AR - E o comprador, quem vai adquirir esse produto?
Há um conjunto de empresários aqui do eixo Ilhéus-Itabuna que está montando uma fábrica e já tem comprador. A produção da fábrica de Ibicaraí, por exemplo, o governo pode adquirir para a merenda escolar. Não falta mercado para chocolate.

AR - Ainda na agricultura, o que está acontecendo com a Biofábrica de Cacau?
A Biofábrica, da existência dela até o final do governo Paulo Souto, deve ter recebido R$ 8 milhões. No governo Wagner, o investimento de R$ 8 milhões é por ano. Antes, as mudas eram produzidas na Biofábrica para o produtor comprar. Hoje as mudas de alta qualidade, produtividade, seja de cacau, seringueira, dendê ou fruteira, são entregues gratuitamente aos pequenos agricultores. A Biofábrica não pode estar passando por dificuldades como essa.

AR - Como o sr. vê o crescimento do PP no governo?
O governo passado tinha um estilo que não compartilhava a gestão. Os partidos aliados, no máximo, faziam indicações regionais, mas não de secretariado. Era isso de ACM a Paulo Souto. Isso é uma inovação do governador Wagner. Alguns até têm espaço maior até do que as suas próprias forças eleitorais.

AR - O senhor falou do compartilhamento, mas o PMDB saiu dizendo o contrário...
O PMDB tinha 500 cargos no governo, os principais. Tinha duas das secretarias mais importantes, Indústria e Comércio e Infraestrutura, mais da Ciência e Tecnologia, além de outros importantes. O PMDB não tem do que reclamar.

AR - O governo achava que tinha o PTB e que o PMDB ficaria isolado. O governo foi lento nas negociações?
Eu acho que o governo pode ter sido lento há dois anos, na primeira metade da gestão, porque naquele período poderia ter fechado com o PTB, PR. Mas nesse ano o governo foi muito ágil, a partir da saída do PMDB. Resolveu logo com o PP, PDT.

AR - O senhor não considera ter sido um erro ter dado muito tempo para o PMDB?
Acho. E ficou tão forte a ponto de se colocar como um nome para o governo do estado. Mas, independente da fidelidade partidária, boa parte dos prefeitos peemedebistas, por conta do tratamento do Jaques Wagner, estará com o governador.

AR - Aposta nisso mesmo com uma possível aliança Paulo Souto-Geddel?
Também. O governo atende a todos os prefeitos sem perguntar qual é a filiação partidária. Isso é uma coisa nova na Bahia. Antigamente, o governador só recebia, só liberava recurso para quem era correligionário.

AR - O que parece é que não há presença do estado na região, em Itabuna...
A gente melhorou muito em políticas públicas, mas entendo que, quanto a obras, a gente pode avançar. E temos grandes obras previstas, como a duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna, o Complexo Intermodal Porto Sul... Tenho conversado com o governador e acho que tem que melhorar as estradas. Tem que fazer a Itabuna-Ibicaraí, ver acessos a Arataca, Jussari, Santa Luzia, BR-415 a Barro Preto. A Ilhéus-Itabuna é uma obra que tem que começar neste primeiro governo Jaques Wagner.

AR - O senhor acredita mesmo em reeleição de Wagner?
Aposto. O povo está cansado daquele modelo antigo, do coronelismo, do “se não está comigo é meu inimigo”. Eu mesmo, quando era prefeito de Itabuna, sofri com o ex-governador Paulo Souto. Itabuna sofreu uma seca de seis meses, eu levei um projeto de captação extraordinária para Souto, mas quem salvou Itabuna foi São José.

AR - Se dependesse da ajuda de Ondina...
Esse modelo antigo não dá mais certo. Veja o modelo Wagner: pega Azevedo, libera mais dinheiro para o Hospital de Base, reabre o Hospital São Lucas, anuncia unidade de pronto-atendimento no Jaçanã. É um outro modelo, democrático, republicano, que não persegue. E sei muito das dificuldades que ele encontrou: mais de 100 obras paradas, alguns dos piores salários do Brasil, no nível do Piauí.

AR - E a velocidade, é a desejada?
A velocidade pode aumentar e é isso que está acontecendo. O problema é que havia um aliado importante dentro do governo que puxava a gestão para trás. Hoje tem unidade.

AR -E o governo demorou para perceber isso.
Demorou porque o governador não é homem de brigar. Ele não queria que o PMDB saísse do governo. Não foi Wagner quem tirou esse partido, foram eles que pediram exoneração, mas eu soube que depois se arrependeram. O que estamos vendo aí é o ministro de cabeça baixa, tratando mal a imprensa, não está mais com aquela arrogância. Muita gente daqueles 500 cargos que ele pensou que estava com ele procurou o governador para apoiá-lo.

AR - Quem vai ser o adversário de Wagner em 2010?
As pesquisas mostram que será Paulo Souto. Então, vai ser uma eleição em que a população vai comparar um passado de 30 anos com o novo governo. Em todas as áreas, os indicadores eram de estado pobre. Wagner está trabalhando para que a Bahia tenha índices de estado que é a sexta economia do país.

AR - Como o sr. viu a saída de Adeum e as justificativas?
Adeum é um craque em educação. Não há ninguém para cuidar melhor da educação na Bahia. Ele teve problemas na parte administrativa e financeira, mas não é responsabilidade exclusiva da educação, porque quem contrata e paga é a Secretaria de Finanças. Mas desejo todo sucesso do mundo ao substituto, Osvaldo Barreto.

AR - Qual foi a contribuição de Chico Bento para essa ‘tábua de graxa’?
Isso é bobagem. Acho que não foi nada de má-fé da gráfica. São coisas que acontecem. Esses dias, a Casa Civil publicou no Diário Oficial do Estado que o secretário de Infraestrutura seria James Correia, e o de Indústria e Comércio, João Leão. Era o contrário.

AR - Dá impressão que seu mandato não é muito ativo. Quais são as suas ações?
Deputado não faz obra, mas tenho trabalhado muito com os governos federal e estadual para garantir obras para a região. PAC do Cacau, renegociação da dívida, porto de Ilhéus. Estou trabalhando para captar mais recursos para aumentar a retro-área do porto. Tive ação junto ao ministro da Previdência para aumentar o número de agências do INSS no sul da Bahia.

AR - E como é o seu projeto de lei que incentiva o cultivo de cacau cabruca?
Esse sistema de cultivo oferece incentivos financeiros para quem produzir preservando a mata atlântica. Trata-se de um projeto que beneficia os produtores e contribui para a conservação ambiental. Também sou relator do projeto de lei do Governo Federal que transforma em política pública a assistência técnica a agricultores familiares, assentamentos, quilombolas e comunidades indígenas.

AR - O senhor vai ajudar a assegurar as obras da barragem para Itabuna?
Tenho trabalhado para assegurar mais recursos, mas tem um movimento dentro da prefeitura para não construir a barragem, mesmo tendo, na Caixa Econômica, R$ 36 milhões disponíveis. A prefeitura andou pedindo para substituir a barragem por uma estação de tratamento de água em Ferradas. Mas como fazer estação de tratamento se não temos a água? Ela só vem com a construção da barragem no rio Colônia, em Itapé.

AR - Essa mudança não seria por conta da dificuldade em assegurar mais recursos?
Recurso tem. Se há dificuldade, procure ajuda, procure o governador Jaques Wagner. Não dá para mudar o objeto do convênio, que é a construção da barragem. Afora isso, temos atuado para colocar na LDO emenda para garantir a vinda do Ifet.

AR - E o serviço de água, a Emasa continua com o serviço ou retorna para a Embasa?
Eu sou contra a privatização. Já tentaram no passado, deixaram o serviço muito ruim para criar o clima para a venda. Sou favorável ao debate. Se o município não tem como tratar o esgoto, melhorar a distribuição de água, conversa com o estado, faz um plano de investimento. O que não pode é continuar do jeito que está. Tem cinco anos que a Emasa não recebe investimento. Investimento só houve no meu governo. Falta água até quando está chovendo.

AR - Como você tem visto o desempenho das novas lideranças em Ilhéus, Itabuna?
Em Itabuna, é a continuidade do governo passado, não mudou nada. Na região, mesmo com essa crise, tenho visto se destacando os prefeitos Lenildo Santana (Ibicaraí), José Carlos Moura (Itapetinga), Josefina Castro (Coaraci), Adroaldo Almeida (Itororó)...

AR - E Ilhéus, como analisa a administração de Newton?
Newton não está se dando conta dos investimentos extraordinários que vão acontecer em Ilhéus. A cidade tem que se planejar para esta nova realidade. Não é pouca coisa: uma ZPE, um aeroporto novo, ferrovia, aeroporto. É se planejar para demandar dos governos federal e estadual os investimentos. Tem que fazer isso, e logo. Não pode esperar os empreendimentos chegarem para planejar depois.

AR - São investimentos que irão impactar também em Itabuna?
O que vai causar impacto econômico em Itabuna é o gasoduto. Na minha cabeça, temos que criar aqui o pólo têxtil e pegar essa produção de algodão do oeste baiano para fazer calça, camisa, cobertores, lençóis.

AR - Você tem conversado com o prefeito de Itabuna?
Não, mas sabemos do que Itabuna precisa e eu estou ajudando. Sei que precisa da barragem, de 10 mil casas populares. Estou trabalhando junto aos governos federal e estadual e Caixa Econômica para que Itabuna tenha as casas populares.

AR - O seu conceito sobre o governo Azevedo mudou depois de nove meses?
Infelizmente, acho que é continuidade do outro governo [de Fernando Gomes], pouca transparência, sem política pública, sem cumprir as promessas de campanha.

AR - E este perfil de Azevedo, de conversar com todos, Wagner, Geddel, Souto?
Fica desacreditado, pois o prefeito é do DEM. Prefeito civilizado tem que conversar com todos, mas sem enganar ninguém. Mas se está com Geddel, apóia Geddel; se está com Wagner, apóia Wagner; e com Souto é a mesma coisa. Ninguém acredita.

AR - Juçara será candidata a estadual?
É natural que o nome dela seja sempre colocado. Ela fez uma campanha bonita para prefeita, teve mais de 40 mil votos, essas pessoas querem votar nela para deputada estadual. E teve gente que votou no atual prefeito, já está decepcionada e quer votar em Juçara. Nós estamos fazendo uma reflexão e até o início do ano que vem ela decide.

AR - E o apoio a Fábio Santana, como ficará?
Infelizmente, acho que é continuidade do outro governo [de Fernando Gomes], pouca transparência, sem política pública, sem cumprir as promessas de campanha.

AR - O seu conceito sobre o governo Azevedo mudou depois de nove meses?
No que puder, nós vamos ajudar na reeleição de Fábio. Digo isso sempre e ele é da base do governo, tem ajudado Jaques Wagner na Assembleia Legislativa e é muito melhor termos um deputado aqui na região.

AR - O sul da Bahia poderá ter uma melhor representação em 2010?
É importante que tenha. Hoje, possuímos uma sub-representação. São dois deputados federais, eu e Veloso, e dois estaduais, Fábio e Angela Sousa. Um miolo de 30 municípios aqui do litoral sul que pode, pelo menos, dobrar o número de deputados.

TCM dá multa a ex-prefeito de Ilhéus

O Tribunal de Contas dos Municípios multou o ex-prefeito de Ilhéus, Valderico Reis, por irregularidades no exercício de 2005. Ele terá que pagar multa de R$ 30 mil por contratar empresas em situação irregular e gastar com publicidade autopromocional.

O TCM constatou que o município contratou a Pedrock Comercial de Pedras e Areia, Jussara Maia e Dilson Alves da Silva com cadastros cancelados na Secretaria Estadual da Fazenda. O ex-prefeito gastou R$ 41.544 com as empresas.

Também foram detectadas irregularidades nos contratos com a Construtora Queiroz Galvão, Vivaldo Lísio Reis Neto, Landex Comércio, Bahia Mister Segurança e Vigilância e Cobratec.

Na época, todos os contratos foram denunciados pelo Jornal das Sete, da rádio Morena FM e pelo Jornal A Região.

Foto gay gera discussões em Ilhéus

Uma foto de dois homens se beijando na boca gerou uma grande polêmica em um stand montado no centro de Ilhéus. O cartaz foi colocado pelo Grupo Eros como parte de uma campanha de combate à discriminação contra os homossexuais.

Mas muitos pais reclamaram que o stand foi montado em frente a um parque infantil. Para os pais e mães, a decisão de exibir o cartaz foi uma atitude, no mínimo, irresponsável dos organizadores da campanha.

Já o pessoal do Grupo Eros alega que não existia nada demais na foto. O clima esquentou no início da tarde entre os defensores do cartaz e os pais revoltados.

O stand foi montado como parte da programação da Quinta Parada Gay da Diversidade de Ilhéus. O evento acontece no domingo, a partir do meio dia, na Avenida Soares Lopes.

Segundo Waltécio Costa, presidente do Grupo Eros, responsável pela campanha em Ilhéus, cerca de 65 mil pessoas devem comparecer à Avenida para prestigiar a Parada Gay no município.

Aposentado é morto durante assalto na Zona Leste de SP

Um aposentado foi assassinado na porta de casa por assaltantes, no início da madrugada desta segunda-feira (28), na Zona Leste da capital paulista.

Veja o site do Bom Dia São Paulo

Evaldo Sebastião Lago Banco, de 58 anos, estava chegando em casa, na Rua Rodovalho Júnior, no bairro da Penha, quando foi abordado por três homens que mandaram que ele entregasse o carro. Segundo testemunhas, o aposentado tinha acabado de abrir o portão para entrar na garagem.

Ele teria entregue o veículo sem reagir, mas, mesmo assim, os assaltantes atiraram. O tiro acertou a cabeça do aposentado. Os suspeitos fugiram levando o carro.


Rodada deixa o topo da tabela do Brasileirão mais verde que nunca

A ponta da tabela do Campeonato Brasileiro ficou mais verde após a 26ª rodada. Em mais uma rodada sem vitórias dos ameaçadores São Paulo e Internacional, Palmeiras e Goiás dividiram os agradecimentos e ganharam terreno na classificação. O time do técnico Muricy chegou a 50 pontos após derrotar o Atlético-PR por 2 a 1, no sábado, em partida que teve o zagueiro Danilo como destaque. Curiosamente, o defensor alviverde só pôde ser escalado com o pagamento de uma multa contratual de R$ 100 mil a seu ex-clube, o Furacão.

- Nosso time foi valente. Sabíamos que seria difícil, que iríamos sofrer. Jogamos na quarta, contra o Cruzeiro, fora de casa, e foi desgastante. Mas valeu mais uma vez o espírito do time, que está muito consciente e trabalhando duro – disse o treinador palmeirense.

O Esmeraldino, por sua vez, se aproveitou do mau aproveitamento do Grêmio fora de casa e de um desvio mal feito pela zaga tricolor, no Serra Dourada, para vencer de virada por 2 a 1 e, com 45 pontos, assumir a vice-liderança.

- Conquistamos uma vitória na base da vontade mesmo. Agora precisamos descansar um pouco e já pensar no jogo de quinta - ressaltou Iarley, referindo-se ao jogo de volta contra o Cerro Porteño, do Paraguai, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. A equipe precisa vencer por três gols de diferença no Serra Dourada para avançar na competição.


Léo Lima comemora a vitória de virada do Goiás sobre o Grêmio, no Serra Dourada. Esmeraldino é o 2• colocado

Com a mesma pontuação, mas com menos vitórias - 12, contra 13 dos goianos - o São Paulo empatou com o Corinthians no clássico paulista e caiu para terceiro. O resultado não agradou a nenhuma das duas equipes, mas os corintianos – que seguem longe do G-4, em nono – puderam comemorar o primeiro gol de Ronaldo após seu retorno ao time. O Fenômeno se aproveitou da falha bisonha do zagueiro André Dias e abriu o placar no Morumbi. Washington arrancou o empate para os são-paulinos.

- Não quero tirar a minha responsabilidade. Acredito que o Bosco tenha falado para deixar para ele, mas, com o estádio cheio e muito barulho, eu não escutei. Foi uma jogada incomum, nunca tinha acontecido na minha carreira – lembrou André Dias.


Troféu Armando Nogueira: conheça os melhores de cada posição

A chuva atrapalhou os jogadores de Internacional e Flamengo, neste domingo: 0 a 0 no Beira-Rio

No Beira-Rio, o Internacional teve a forte chuva e o campo encharcado como desculpas para não conseguir superar a defesa do Flamengo – que não sofre gols há cinco jogos, desde que o ex-colorado Álvaro entrou na equipe.

- Vou me posicionar não como técnico do Inter, mas como ser humano, professor de educação física e ex-atleta. É um crime o que aconteceu. Ainda bem que as duas equipes foram de uma lealdade extraordinária. Um atleta que erra um tempo de bola, embala com velocidade e não consegue parar arrebenta o cara no meio. Aí arrebenta um Eller, um Taison, um Alecsandro, e qual o prejuízo? E se arrebenta um Adriano, um Álvaro, um Pet? Tem que ter bom senso. Era impraticável – reclamou Tite.

E o time de Adriano também sofreu no duelo com o gramado alagado e as equipes não saíram do 0 a 0. O Fla segue na oitava colocação, enquanto os gaúchos caíram para a quarta colocação e, empatados em pontos (44) com o Atlético-MG, se seguram pelas pontas dos dedos no G-4.

- Fizemos o que deu para fazer. Com o gramado assim, fica difícil. As duas equipes estão de parabéns pela determinação que mostraram. O ponto fora de casa foi bom. A situação era essa: não levar gol. Está bom - disse o Imperador à Rádio Globo.


Veja a lista de artilheiros do Campeonato Brasileiro

O Galo deu novo sinal de vida, ao vencer o Santos, no Mineirão, por 3 a 1. Diego Tardelli comandou o triunfo atleticano sobre o Peixe, que segue na 12ª posição.

Sem times na ponta da tabela, o Rio de Janeiro acabou servindo de palco para a maior ascensão e a maior queda da rodada. No Engenhão, o Vitória surpreendeu o Botafogo por 3 a 1 e ganhou três posições na tabela, chegando à sétima colocação. A marca negativa ficou para o Avaí, que trocou de lugar com os baianos no décimo lugar da tabela, ao ser derrotado pelo Fluminense por 3 a 2. O bom resultado do Tricolor – único carioca a vencer na rodada - pôs fim à sequência de oito partidas sem vencer na competição, mas não tirou o time do técnico Cuca, com 21 pontos, da lanterna, já que o Sport, 19º colocado, derrotou o Santo André, por 2 a 1, e chegou a 23.

O Leão recifense acabou ajudando o arquirrival Náutico a seguir fora da zona de rebaixamento. Com 26 pontos, o Timbu foi derrotado pelo Coritiba por 2 a 0, mas manteve a 16ª colocação, com um ponto a mais que o Ramalhão, 17º.

No sábado, o Cruzeiro voltou a estar envolvido em uma polêmica de arbitragem, mas trocou de lado. Após as duras reclamações da Raposa contra a atuação do árbitro Evandro Rogério Roman na derrota para o Palmeiras, Gilberto, em posição irregular, garantiu a vitória celeste por 1 a 0 sobre o Barueri. Os mineiros seguem em 13º, e os paulistas em 11º.

Timão detona arbitragem e 'força' tricolor nos bastidores

A arbitragem do mineiro Ricardo Marques Ribeiro no clássico deste domingo entre Corinthians e São Paulo deixou o lado alvinegro revoltado. Após o empate por 1 a 1 no Morumbi, que afastou ainda mais os arquirrivais do sonho de brigar com o Palmeiras pelo título, Mano Menezes praticamente se esqueceu de falar sobre o desempenho de sua equipe no confronto contra os atuais tricampeões nacionais e foi o primeiro a disparar contra o apitador.

"Tivemos, na segunda parte, as melhores oportunidades para definir o jogo a nosso favor e saímos com a convicção de que se a arbitragem tivesse sido um pouco mais neutra certamente sairíamos com a vitória", opinou, visivelmente insatisfeito com o trio mineiro.

"Não gostei nada da arbitragem e acho que estão confundindo o fato de o Corinthians já ter vaga garantida na Libertadores com dar o mesmo tratamento para nosso time. O árbitro usou dois critérios o tempo inteiro. Não deu uma sucessão de faltas a nosso favor e, no final, expulsou um jogador deles para deixar a impressão que o São Paulo foi o prejudicado. Um absurdo", disparou, cutucando, por tabela, os donos da casa.

Apesar de ter citado faltas em Defederico e Dentinho, perto da área rival, como exemplos de erros do árbitro neste domingo, Mano reforçou que sua principal reclamação foi com relação ao duplo critério adotado pelo apitador mineiro. "Não estou falando de um lance, mas de filosofia para apitar o jogo. Tem que usar critério igual. Não usou e ficou parecendo outra coisa", concluiu, voltando a insinuar favorecimento ao time do Morumbi.

Direto e reto: Se Mano Menezes insinuou favorecimento, o presidente Andrés Sanchez falou com todas as letras o que o treinador se policiou na hora de conceder entrevista coletiva. Para o mandatário alvinegro, a força rival nos bastidores influenciou o comportamento de Ricardo Marques Ribeiro no clássico.

"Errar é normal, mas o que aconteceu hoje (domingo) foi um absurdo. Eu já fui beneficiado e prejudicado, mas isso foi uma vergonha. O São Paulo pressiona de todos os lados e acontece isso aí", disparou, também reforçando sua revolta com o tratamento recebido ao chegar no Morumbi.

"Está virando rotina com esses vândalos. Depois querem fazer Copa do Mundo", criticou. "E vão conseguir, pois vai sair dinheiro público. Eu queria fazer o meu (estádio), mas o São Paulo vai pegar todo o dinheiro e não sobrará para o Corinthians", concluiu, estocando uma última vez os desafetos.

Resposta: Do lado são-paulino, o técnico Ricardo Gomes deixou clara a discordância das declarações corintianas. "Qual pressão que fizemos sobre o árbitro? Contra o Flamengo, ele não havia dado um pênalti sobre o Washington. Ainda assim, sempre falei para confiarmos em seu trabalho", afirmou.

Já o superintendente de futebol Marco Aurélio preferiu disparar contra Mano Menezes. "Ele é muito sensível para arbitragem. O gol do Corinthians saiu de uma irregularidade do Dentinho e ainda vi um pênalti em cima do Marlos. Mas foram lances difíceis. Acho que o juiz apitou bem", analisou.

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 5 milhões na próxima quarta

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.112 da Mega-Sena sorteadas na noite deste sábado. O valor do prêmio do próximo concurso, que será realizado na quarta-feira (30), acumulou. Segundo estimativa da Caixa Econômica Federal, o ganhador pode levar R$ 5 milhões.

Os números sorteados neste sábado, em Mesquista (RJ), foram: 04 - 32 - 34 - 43 - 52 - 58.

Ao todo, 43 bilhetes acertaram a quina e devem levar R$ 28.083,09 cada um. Outros 3.283 apostadores levaram a quadra e ganharão R$ 525,46 cada um.

Na última quarta-feira (23), uma aposta de São Caetano do Sul (Grande São Paulo) acertou as seis dezenas sorteadas no concurso 1.111 e ganhou R$ 2 milhões.

O valo da Mega-Sena foi reajustado em 6 de setembro, passando de R$ 1,75 para R$ 2. Segundo estimativa da Caixa, a arrecadação e os prêmios devem ter um crescimento de 10%. A Mega-Sena realiza sorteios duas vezes por semana, às quartas e aos sábados.

Desde a criação da loteria, o maior prêmio saiu em 1999, quando um apostador de Salvador ganhou R$ 64,9 milhões.

Governo de Micheletti dá prazo ao Brasil para que defina status de Zelaya

Na noite deste sábado (26), o governo interino de Roberto Micheletti deu um prazo de dez dias ao Brasil para que defina o status do presidente hondurenho deposto, Manuel Zelaya, que desde a segunda-feira passada está refugiado na Embaixada do país em Tegucigalpa.

Lula diz que Conselho de Segurança "perdeu relevância"
Para Lula é preciso impedir retrocesso nas democracias
Veja a cronologia da crise política em Honduras
Veja galeria de imagens do conflito hondurenho

O governo Micheletti exigiu ainda que o Brasil se assegure de que sua Embaixada não será usada por Zelaya "para pregar a violência", em alusão ao pedido do presidente deposto que pediu à população hondurenha que pratique "atos de desobediência civil" contra o regime interino.

Em comunicado o governo pede que o Brasil "tome medidas imediatas que assegurem que Zelaya deixe de utilizar a proteção da missão diplomática brasileira para instigar a violência em Honduras".

O texto diz ainda que o regime interino tem mostrado uma paciência "infinita" e reagido "moderadamente à violência nutrida" dentro da Embaixada, mas assegura que respeitará o espaço conforme indicado pelas leis internacionais, desde que o prazo de dez dias seja respeitado. "Do contrário, tomaremos medidas adicionais previstas no Direito Internacional."

Histórico

Zelaya voltou a Honduras quase três meses depois de ser expulso. Nas primeiras horas do dia 28 de junho, dia em que pretendia realizar uma consulta popular sobre mudanças constitucionais que havia sido considerada ilegal pela Justiça, ele foi detido por militares, com apoio da Suprema Corte e do Congresso, sob a alegação de que visava a infringir a Constituição ao tentar passar por cima da cláusula pétrea que impede reeleições no país.

O presidente deposto, cujo mandato termina no início do próximo ano, nega que pretendesse continuar no poder e se apoia na rejeição internacional ao que é amplamente considerado um golpe de Estado --e no auxílio financeiro, político e logístico do presidente venezuelano, Hugo Chávez-- para desafiar a autoridade do presidente interino e retomar o poder.

Isolado internacionalmente, o presidente interino resiste à pressão externa para que Zelaya seja restituído e governa um país aparentemente dividido em relação à destituição, mas com uma elite política e militar --além da cúpula da Igreja Católica-- unida em torno da interpretação de que houve uma sucessão legítima de poder e de que a Presidência será passada de Micheletti apenas ao presidente eleito em novembro. As eleições estavam marcadas antes da deposição, e nem o presidente interino nem o deposto são candidatos.

Mas o retorno de Zelaya aumentou a pressão internacional sobre o governo interino, alimentou uma onda de protestos que desafiaram um toque de recolher nacional e fez da crise hondurenha um dos temas da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), reunida em Nova York esta semana. A ONU suspendeu um acordo de cooperação com o tribunal eleitoral hondurenho e a OEA planeja a viagem de uma delegação diplomática a Honduras para tentar negociar uma saída para o impasse.

Pelo menos duas pessoas morreram em manifestações de simpatizantes de Zelaya reprimidas pelas forças de segurança durante um toque de recolher que foi suspenso nesta manhã. Nesta quinta-feira, houve novas marchas em favor do presidente deposto, mas também manifestações favoráveis ao governo interino.