Músico processa Daniela pelo uso da expressão 'pôr do som'

O músico baiano Luiz Galvão decidiu processar Daniela Mercury: ele acusa a cantora de se apropriar indevidamente da expressão "pôr do som", da célebre canção "Farol da Barra", que ele compôs em 1978 com Caetano Veloso. Daniela Mercury registrou a expressão em nome de uma empresa dela em 2009. E "pôr do som" passou a batizar um show da cantora que ocorre sempre em 1º de janeiro em Salvador. Segundo a mulher de Galvão, Janete, já houve tentativas de acordo, mas elas foram rechaçadas pelo filho de Daniela, Gabriel Povoas. "Meu marido está com diabetes, se trata no SUS e nunca recebeu nada pelo uso, enquanto Daniela Mercury ganha com esse show há 17 anos. Agimos agora porque estamos com dificuldades financeiras", diz Janete Galvão. "E nós já estamos cansados de todos se aproveitarem do trabalho dele [Galvão]", completa ela. Malu Verçosa Mercury, mulher e empresária da artista, afirma que juridicamente não há problema no uso do termo para dar nome ao evento. "O show não é baseado na música. A finalidade não é a mesma. Não temos a menor intenção de brigar com ele e inclusive Galvão também pode fazer uso da marca. A apresentação é um presente para Salvador", diz. (Mônica Bergamo)
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!