Aedes modificados geneticamente nos EUA são resistentes à dengue



Cientistas dos Estados Unidos da América modificaram geneticamente o mosquito da dengue, transmissor do Zika vírus, chikungunya e dengue, para que eles não se infectem pela dengue e não transmitem o vírus. A equipe manipulou o Aedes para ativar as proteínas Dome e Hop, que lutam contra o vírus da dengue após a ingestão de sangue 'contaminado' e produzir mas destas proteínas. Os resultados prévios dessa mudança foram: os mosquitos que tinham mais Dome tiveram 78,18% menos cópias do vírus da dengue em suas entranhas; os com mais Hop tiveram uma queda de 83,63% de cópias do vírus. O estudo publicado na Plos apontou que ambos os mosquitos diminuiram significativamente o vírus em suas glândulas salivares, ondem transmitem para os seres humanos. A modificação, no entanto, só funcinou com a dengue, não funcionando com a chikungunya e Zika vírus.
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!