Secretário Vitor Lavinsky diz que Saúde de Itabuna foi sucateada


Prédios das Unidades de Saúde da Família completamente sucateados, Policlínica e Centro de Especialidades Odontológicas (Odontocentro) também funcionando em precárias condições por falta de móveis e equipamentos, Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães (HBLEM) com a folha de pagamento inchada e um débito superior a R$30 milhões entre impostos e os servidores com desvio de função atuando em diversos setores.
Este foi parte de um retrato em preto e branco encontrado pelo atual secretário de Saúde de Itabuna, Vitor Lavinsky, após uma série de visitas, reuniões e relatórios que ainda não foram concluídos totalmente pelos setores que compõem a Secretaria Municipal de Saúde de Itabuna.
Outro fator que fez a saúde pública ficar negativa, na visão do secretário, diz respeito a Função Gratificada (FG) que sem nenhum critério era paga com valores exorbitantes a profissionais de saúde com uma mesma função mas salários diferenciados. “O resultado foi insatisfação por parte de alguns e uma folha onerada com o comprometimento de grande parte dos recursos da saúde que deixou de ser aplicado em serviços importantes para a população”.
Ainda de acordo com levantamento da situação da saúde no município, Lavinsky destaca o Samu 192 que, segundo ele, recebeu verbas para a construção de sua rede regional, mas a obra não foi realizada porque o dinheiro foi direcionado para o Sistema de Monitoramento da unidade.
“Infelizmente, essa é só uma parte do que encontramos na saúde pública de Itabuna, enquanto a população desassistida tinha seus direitos mais básicos violados, como a falta de assistência médica gratuita com o mínimo de qualidade”. O secretário ficou ainda mais preocupado com a situação da Atenção Básica, considerada a porta de entrada para o Sistema Único de Saúde (SUS) e que deveria oferecer uma saúde de qualidade, com pelo menos 75% de cobertura conforme determina o Ministério da Saúde e não apenas 40% como vinham sendo feito.
“Encontramos uma sucataria na maior parte das unidades desde estruturas físicas com obras inacabadas e até equipamentos médicos sem funcionar por falta de manutenção”. Outro ponto destacado foi com relação às Unidades de Pronto Atendimento UPAs I (bairro Monte Cristo) e II (Fonseca), paradas desde 2015, mas com informação de “concluídas” no Sistema de Monitoramento de Obras Concluídas do Governo Federal. A UPA do Monte Cristo já vai funcionar a partir de abril, tão logo cheguem os equipamentos.
Ação e austeridade para fazer funcionar
Vitor Lavinsky disse que para a saúde funcionar em Itabuna o município “entrou num processo de reconstrução dos serviços de saúde com medidas de austeridade que começou com o enxugamento da folha e o redimensionamento de pessoal”. Em pouco mais de um mês de gestão à frente da mais complexa secretaria municipal, ele diz que em cálculos mensais, conseguirá uma economia de R$3,6 milhões ao ano, apenas na SMS. No HBLEM, a revisão de contratos médicos também permitirá reduzir os recursos em R$13,3 milhões também ao ano.
“Mesmo com esse regime de austeridade e a demissão de 200 servidores contratados, o Hospital de Base continua com portas abertas atendendo normalmente sem comprometer a qualidade do serviço oferecido à população local e regional e sem faltar medicamentos”, assegura. O secretário lembra que o redirecionamento do Ambulatório de Psiquiatria do HBLEM para a Rede de Atendimento Especializado já está sendo providenciado tão logo seja localizado novo espaço mais adequado, inclusive para o atendimento aos pacientes de outros municípios pactuados.
“Iremos implantar alguns serviços para melhoria da qualidade da assistência, a exemplo do acolhimento com classificação de risco na emergência, visando diminuir o tempo de espera de pacientes que necessitam de atendimento emergencial”
A SMS também está em fase de habilitação de alguns serviços de alto risco no HBLEM junto à Sesab, a exemplo da ampliação do número de leitos de UTI Adulto, habilitação do hospital em Ortopedia, Neurocirurgia e Nutrição Parenteral e Enteral, fazendo com que o repasse financeiro estadual para a unidade hospitalar aumente significativamente, “além de uma resolutividade maior, frente ao complexo de problemas de saúde atendidos naquele hospital”.
“A saúde pública com qualidade vai funcionar sim em Itabuna e atender aos anseios dos pacientes do SUS”, afirma ao adiantar que ira buscar parcerias por meio de emendas parlamentares e de convênios com o Ministério da Saúde e com a Sesab, para atrair verbas que serão aplicadas com transparência e direcionamento legais em todos os setores da rede de saúde pública no município.
_____________________________
Prefeitura de Itabuna
Secretaria de Comunicação Social
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!