technology

tv tribuna

recent posts

tv
tv

Por que devemos defender a propriedade privada?


Porque sem a instituição da propriedade privada voltaríamos às cavernas. Simples assim!
O que leva muitas pessoas a hesitarem quanto a essa verdade é a falsa ideia de que a propriedade privada representa sempre a posse individual e egoística de um determinado bem, a exemplo de vastas extensões de terra, em detrimento dos benefícios que esse bem possa propiciar à coletividade.
Tal suposição, todavia, ainda que verdadeira fosse – e não é – representaria uma diminuta imperfeição da propriedade privada, perfeitamente corrigível mediante uma legislação inteligente que limitasse o seu tamanho e a sua forma de uso, por exemplo.
É preciso ficar claro que os benefícios da propriedade privada como uma força motora do desenvolvimento humano, força essa que nos conduziu aos confortáveis dias atuais, são sobejamente superiores às suas eventuais imperfeições.
Tomemos como exemplo a nossa residência. Ora, se não se pode exercer o poder de propriedade sobre a casa em que se mora, ou o direito de posse, estando ela sujeita a ser ocupada por quem assim o queira, ninguém iria construir ou comprar uma casa, claro! Iria preferir aventurar-se, ainda que com previsível risco de morte, a ocupar a casa de outrem. Portanto, se ninguém compra uma casa, porque não tem segurança quanto à sua propriedade, então ninguém iria construí-la para uso ou comércio e, assim, inexistiriam imóveis residenciais ou para qualquer outro fim.
Tal raciocínio também se aplica a todos os outros bens, a exemplo do carro, do smartphone, dos utensílios domésticos, do vestuário e, principalmente, das lavouras, donde vêm os nossos imprescindíveis alimentos. E aí, mais uma vez, eu pergunto: por que eu iria plantar uma roça de feijão se, na época da colheita, um grupo hostil poderia chegar e colher a safra sem que eu pudesse reclamar o meu direito de propriedade? Seria melhor, então, em vez de plantar, eu organizar um grupo e ir colher a lavoura que outro plantou. Assim sendo, ninguém plantaria coisa nenhuma e todos iriam comer frutos, raízes e caças enquanto perdurassem. Shopping, supermercado, farmácia, teatro, barzinho? Nem na imaginação!
Infelizmente aqui não há espaço para alongar outras considerações sobre esse importante tema. Mas fica claro, porém, que a pregação comunista de extinção da propriedade privada nada mais é que uma falácia sem sentido prático, sendo, pelo contrário, uma perigosa demagogia, que, como tudo que vem do Comunismo, decorre da inveja de quem não produz e ambiciona tomar pela força delinquente o bem alheio.
Em síntese: a propriedade privada, além de alimentar os sonhos individuais, é a força que nos levou a aprimorar o nosso ferramental, desde a primeira lança com que o Homo sapiens caçou seus alimentos e se defendeu de seus predadores.
POR: LAURO ASSUNÇÃO