Veja os principais momentos do programa nuclear da Coreia do Norte




Parecia que a Coreia do Norte sofria um tremor de terra. O sismo sentido neste domingo (3, sábado no Brasil) foi, na verdade, artificial e provocado por testes com uma bomba h, ou de hidrogênio. O chefe do Comitê de Defesa sul-coreano, Kim Young-woo, declarou que o abalo teve potência de 100 quilotoneladas e foi recebido em Seul com magnitude quatro vezes maior do que abalo sísmico provocado pela bomba de Nagasaki, no Japão, em 1945.


É a sexta bomba testada pelo regime de Pyongyang, nos últimos 11 anos. Conheça abaixo os principais momentos do programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, destacados pela agência Lusa.

Linha do tempo

- Fim da década de 1970: A Coreia do Norte começa a trabalhar numa versão do míssil soviético 'Scud B', com capacidade de alcance de 300 quilômetros. Testado em 1984

- 1987-1992: Pyongyang começa a desenvolver variantes dos mísseis 'Scud C' (500 km de alcance), do 'Rodong-1' (1.300 km), do ''Taepodong-1' (2.500 km), do 'Musudan-1' (3.000 km) e do ''Taepodong-2' (6.700 km)

- Agosto de 1998: Ensaio de lançamento do ''Taepodong-1' sobre o Japão. Pyongyang afirmou querer colocar um satélite em órbita, os Estados Unidos declararam ser um míssil

Teste do míssil 'Taepodong-1' sobre o Japão, como parte de um lançamento mal-sucedido de satélite.

- Setembro de 1999: Graças à melhoria nas relações com os Estados Unidos, a Coreia do Norte declara uma moratória para os testes de mísseis de longo alcance

- 12 de julho de 2000: Termina sem acordo, em Kuala Lumpur, a quinta ronda de negociações entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, depois de Pyongyang ter pedido US$ 1 bilhão ao ano para compensar o fim das exportações de mísseis

- 3 de março de 2005: Pyongyang termina a moratória de ensaios de mísseis de longo alcance e classifica de "hostil" a política da administração do Presidente norte-americano, George W. Bush

- 5 de julho de 2006: Pyongyang faz sete ensaios de mísseis, incluindo um 'Taepodong-2', de longo alcance, que viria a explodir 40 segundos depois

- 15 de julho de 2006: O Conselho de Segurança da ONU adota a Resolução 1695, que solicita o cessar de todas as atividades com mísseis balísticos e qualquer comércio de peças relacionadas com mísseis com a Coreia do Norte

- 9 de outubro de 2006: Pyongyang faz o primeiro teste nuclear subterrâneo

- 14 de outubro de 2006: O Conselho de Segurança da ONU aprova a Resolução 1718, que pede o fim dos testes de mísseis e nucleares e cessa a oferta de peças relacionadas ao programa

- 5 de abril de 2009: A Coreia do Norte lança um míssil de longo alcance que sobrevoa o Japão e cai no Pacífico, que justifica ser uma tentativa de colocar um satélite em órbita. Os Estados Unidos, o Japão e a Coreia do Sul consideram que foi um ensaio encoberto de um 'Taepodong-2'

- 13 de abril de 2009: O Conselho de Segurança da ONU condena por unanimidade o lançamento e concorda em agravar a imposição de sanções. A Coreia do Norte abandona as negociações para o desarmamento e anuncia que vai recomeçar o programa de plutônio

- 25 de maio de 2009: Pyongyang faz o segundo teste nuclear subterrâneo, muito mais potente que o primeiro

- 12 de junho de 2009: O Conselho de Segurança aprova a Resolução 1874, que impõe sanções mais duras aos programas de mísseis atômicos e balísticos da Coreia do Norte

- 18 de fevereiro de 2011: Imagens de satélite mostram que a Coreia do Norte completou uma torre de lançamento no complexo de ensaios de satélites na costa oeste

- 15 de maio de 2011: ACoreia do Norte e o Irã são suspeitos de partilharem tecnologia de mísseis balísticos, segundo um relatório das Nações Unidas

- 16 de março de 2012: A Coreia do Norte anuncia que vai lançar um míssil de longo alcance entre 12 e 16 de abril para colocar um satélite em órbita

- 13 de abril de 2012: Um míssil é lançado a partir da base de Sohae mas se desintegra poucos minutos depois de ser lançado e cai no mar

- 1º de dezembro de 2012: A Coreia do Norte anuncia que vai lançar outro míssil

- 12 de dezembro de 2012: A Coreia do Norte lança com sucesso um foguete para oficialmente colocar em órbita um satélite civil de observação terrestre. O ato é considerado como um novo teste balístico

- 12 de fevereiro de 2013: A Coreia do Norte faz o terceiro teste nuclear subterrâneo

- 6 de janeiro de 2016: A Coreia do Norte realiza o quarto teste nuclear subterrâneo, afirmando ter testado uma bomba de hidrogênio, fato questionado por especialistas

- 7 de fevereiro de 2016: A Coreia do Norte anuncia que colocou em órbita um satélite para observar a Terra com o lançamento de um segundo foguete para o efeito

- 9 de março de 2016: O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-Un, afirma que Pyongyang conseguiu miniaturizar uma ogiva termonuclear

- 23 de abril de 2016: Coreia do Norte realiza teste de míssil, lançado de um submarino

- 8 de julho de 2016: Washington e Seul anunciam o seu projeto de instalação do sistema antimísseis norte-americano THAAD, na Coreia do Sul

- 3 de agosto de 2016: Pela primeira vez, a Coreia do Norte dispara diretamente um míssil balístico para a zona econômica exclusiva do Japão

- 9 de setembro de 2016: A Coreia do Norte realiza quinto ensaio nuclear

- 6 de março de 2017: A Coreia do Norte lança quatro mísseis balísticos para simular, segundo afirmou, um ataque contra bases norte-americanas no Japão


- 7 março de 2017: Os Estados Unidos começam a instalar o THAAD na Coreia do Sul

- 14 de maio de 2017: A Coreia do Norte dispara um míssil que percorre 700 quilômetros antes de cair no mar do Japão. Especialistas acreditam que o projétil teria uma capacidade potencial de 4.500 quilômetros, e alcançaria as bases norte-americanas em Guam, no Pacífico.

- 4 de julho de 2017: A Coreia do Norte lança um míssil intercontinental com capacidade de alcance estimada em 6.700 quilômetros, e que chegaria ao Alasca, segundo especialistas. Pyongyang anuncia o "histórico" teste do 'Hwasong-14', apresentado como um míssil balístico intercontinental

- 28 de julho de 2017: A Coreia do Norte lança um míssil intercontinental com uma capacidade de alcance de teoricamente 10.000 quilômetros, o que significa que poderia ameaçar boa parte do continente americano

- 5 de agosto: O Conselho de Segurança da ONU adota, por unanimidade, uma resolução reforçando fortemente as sanções impostas à Coreia do Norte, com o objetivo de privar Pyongyang de US$ 1 bilhão de receitas anuais. A resolução 2371 visa proibir a obtenção de receitas das exportações norte-coreanas, especificamente nos setores do carvão, do ferro e das pescas. Tratou-se do sexto, e do mais duro, pacote de sanções impostas pela ONU à Coreia do Norte desde o primeiro teste nuclear em 2006

- 26 de agosto de 2017: A Coreia do Norte lança três mísseis balísticos de curto alcance

- 29 de agosto: A Coreia do norte lança um míssil que, pela primeira vez desde 2009, sobrevoa território japonês, antes de cair no Pacífico. Segundo Seul, percorreu 2.700 quilômetros e atingiu uma altitude máxima de cerca de 550 quilômetros

- 3 de setembro: A Coreia do Norte realiza o sexto ensaio nuclear, alegando ter testado, com sucesso, uma bomba de hidrogênio passível ser instalada num míssil balístico intercontinental (ICBM)
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!