Após oração de pastor, milagres e libertação, aldeia budista se rende a Jesus



O pastor Dano (nome alterado por questões de segurança) nasceu em uma família de animistas em Mianmar, sul da Ásia. Por gerações seus antepassados adoravam os “espíritos da natureza”, mas ele rompeu com tudo isso quando aceitou a Jesus. Ele serviu ao exército por muitos anos e ingressou no ministério em tempo integral após se aposentar. Recentemente, o pastor de 60 anos teve uma experiência que mudaria sua vida e a de muitos outros. Após receber uma visão de Deus, entendeu que deveria pregar em uma aldeia onde todos são budistas, a religião majoritária do país. Dano procurou o chefe da aldeia e disse que gostaria de dar aulas para as crianças gratuitamente. Os líderes concordaram, mas o proibiram de pregar o evangelho. Ele chegou a assinar um documento se comprometendo. Mudou-se para lá com seus familiares. Depois de um tempo, não conseguiu se segurar e acabou ensinando versículos bíblicos e canções que falavam sobre Jesus. O pastor orava diariamente pelas pessoas daquele vilarejo durante a madrugada, quando fazia uma caminhada pelo local, repreendendo a ação do maligno. Recebeu o apoio de sua família, que passou a orar e jejuar com ele. Seus filhos passaram a ser ameaçados na escola por professores e alunos, pois se recusavam a fazer orações budistas. Enquanto continuava seu trabalho na aldeia, muitas vezes o chefe e o vice-chefe tentaram matá-lo, pois sabiam que ele estava pregando. Dano testemunha que sempre escapava de forma miraculosa. Certa vez apontaram uma arma para sua cabeça, mas quando apertaram o gatilho, ela simplesmente não funcionou.

Tudo mudou quando o filho do vice-chefe ficou possuído por demônios. O monge budista local não conseguiu fazer nada para ajudá-lo. Também foram chamados os curandeiros, que nada puderam fazer. Desesperado, mandou chamar o pastor Dano, pois em outras ocasiões pessoas tinham sido curadas quando ele orava. “A família do vice-chefe pensou que eu estaria bravo com eles e me recusaria a ajudar, mas vi ali como uma oportunidade de alcançá-los”, lembra. Após três dias de oração e jejum, Dano foi até a casa do jovem. Quando o rapaz o viu, saiu correndo, e dizendo: “Esse homem vai me pegar”. O pastor queimou o santuário que havia naquela casa, clamou pelo nome de Jesus e todos viram quando o demônio saiu do rapaz. Na verdade, todos os espíritos malignos da aldeia foram embora. Alguns líderes budistas chegaram a fazer sacrifícios para que os espíritos voltassem, mas nada aconteceu. Contrariados, exigiram que o pastor trouxesse aqueles espíritos de volta. Dano não concordou e passou a orar em cada local de santuário da aldeia. No dia seguinte, os santuários apareceram queimados. Foi algo sobrenatural, pois ninguém sabe como isso aconteceu. A família do vice-chefe e outras quatro famílias decidiram aceitar a Jesus, pois estavam convencidos do seu poder. Aos poucos, outros moradores da aldeia também se converteram. Muitos que antes se opunham ao trabalho do pastor, passaram a ouvi-lo.

Hoje, toda a aldeia adora a Jesus. Dano fundou uma igreja e planeja alcançar dois vilarejos budistas vizinhos. Falando à Missão Portas Abertas, que tem lhe dado ajuda em seu trabalho na região, ele conta que tudo começou com a obediência. “Naquela visão eu podia ver claramente uma videira cheia de uvas totalmente maduras e esperando para serem colhidas. Um anjo me pedia para arrancar as uvas e comê-las. Se eu não o fizesse, ele enviaria outra pessoa”, lembra Dano. Com informações God Reports
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!