Para aliados, Lula e Temer seriam fieis mesmo com batom na cueca


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou ao noticiário nesta terça-feira (6) após a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negar o habeas corpus preventivo para evitar que o petista seja preso por conta da condenação em segunda instância. Após o episódio, mais uma vez, Lula veio a público para assegurar que vai até o fim na tentativa de voltar ao poder. O petista precisa vender a ideia de que fica na disputa pelo Palácio do Planalto, ainda que não acredite na possibilidade. Para a massa que apoia o ex-presidente, ele é vítima de uma conspiração dos donos do poder que almejam apear o povo de uma chance de melhorar de vida. Pode até aparecer uma cueca cheia de marcas de batom, porém Lula será inocente de uma eventual traição, tal qual historietas contadas e recontadas nas rodas de amigos. Não há, como qualquer um já leu ou ouviu, uma prova concreta que ligue o ex-presidente ao tríplex no Guarujá ou ao sítio de Atibaia. Pelo menos para aqueles que defendem cegamente Lula e o espírito democrático brasileiro. Nada colocaria Lula como culpado, apareça o que aparecer. É nesse ponto que, às vezes, somos obrigados a comparar desiguais. No mesmo dia em que o STJ negou o habeas corpus preventivo de Lula, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, reclamou que o Supremo Tribunal Federal estaria tentando atingir o presidente Michel Temer ao autorizar a quebra do sigilo bancário do atual ocupante do Palácio do Planalto. Marun, tal qual os seguidores de Lula, defende piamente que Temer é um anjo de candura e nada nem ninguém pode macular a imagem do presidente – obviamente por interesses próprios. A tranquilidade de Marun e Temer possivelmente se arvora numa simples argumentação: se existe alguma ilegalidade, a quebra do sigilo bancário traria alguma prova contra o peemedebista? E, mesmo que aponte alguma irregularidade, os aliados do ex-vice decorativo vão manter a defesa de que Temer é inocente e que vai até o fim para provar a condição. Ainda que haja uma gravação falando para manter Eduardo Cunha calado ou um ex-assessor recebendo uma mala com R$ 500 mil. Marcela Temer, nesse caso, não teria que se preocupar com manchas de batom na cueca. Afinal, Temer e Lula, para cada um dos grupos que os apoiam, são inocentes mesmo que haja um flagrante ilícito. E isso basta. Este texto integra o comentário desta quarta-feira (7) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para as rádios Excelsior FM, Clube FM e Irecê Líder FM.
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!