MP quer anular júri que condenou Elize Matsunaga



Elize Matsunaga foi condenada a 19 anos de prisão pelo assassinato do marido em São Paulo, mas o Ministério Público (MP) quer anular o júri que aconteceu em 2016. A Promotoria argumenta que Elize deve ser julgada novamente para receber uma pena maior.


O crime foi cometido em 2012. O empresário Marcos Kitano Matsunaga foi baleado e esquartejado pela esposa. Elize confessou o crime e alega que matou o herdeiro da empresa de alimentos Yoki para se defender.

A defesa da assassina não quer a anulação do julgamento que a condenou. Os advogados pedem a redução da pena que Elize recebeu. O Tribunal de Justiça (TJ) deverá julgar neste ano os pedidos feitos pela acusação e defesa.


De acordo com o G1, a previsão é que isso ocorra ainda neste mês.

As apelações serão analisadas pela 7ª Câmara de Direito Criminal do TJ. No início de abril elas foram incluídas na pauta de julgamento do próximo dia 18. No entanto, trata-se de uma previsão, já que não há garantia de que serão mesmo apreciadas nessa data.

Desembargadores do Tribunal de Justiça deverão analisar as apelações em conjunto e decidir, por votação, se atendem o pedido do MP ou dos advogados. Os dois pedidos, que são completamente diferentes, foram feitos logo após o julgamento de Elize, em dezembro de 2016, mas só entraram na pauta do TJ recentemente porque antes o tribunal estava analisando outros recursos das partes.
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!