Bilhete Único Muda em SP e Exigirá Cadastro De Todos Os Usuários.


A Prefeitura de São Paulo mudou as regras para compra do tipo de Bilhete Único conhecido como anônimo. Antes, para essa modalidade, não era necessário que o usuário se identificasse. Agora, o cartão continua sem nome e foto, mas o usuário terá de apresentar um documento com foto e o número do CPF na hora da compra.


A mudança entrou em vigor nesta quinta-feira (7) sem aviso prévio da gestão Bruno Covas (PSDB). Os bilhetes anônimos vendidos antes disso continuam valendo, e o modelo de recarga segue sendo apenas do tipo comum. O preço de compra também é o mesmo: uma tarifa e uma carga mínima de cinco passagens, que somam R$ 24.


O intuito é combater as fraudes no cartão. Desde o ano passado, a prefeitura já cancelou e apreendeu mais de 650 mil cartões por fraude e, neste ano, mais de mil pessoas foram indiciadas pela polícia. Com o CPF cadastrado, o usuário só pode ter um único bilhete sem a possibilidade de validar outro do mesmo tipo em seu nome.

Na fila de um posto da São Paulo Transportes (SPTrans), no terminal Vila Nova Cachoeirinha (zona norte), a babá Adriana Rodrigues, 45, aprovou a medida. "Vai ser bom para o caso de perder ou roubarem o bilhete, que vai para bloquear e reaver os créditos que já estavam nele."

Já a dona de casa Juliana Farias, 31, acha que vai ocorrer uma limitação. "Se eu sair com a minha sobrinha, e ela não tiver o cartão e eu não ter outro para emprestar, vamos perder a integração. Ela vai ter que pagar duas passagens."

Para ela, se não é um benefício e o dinheiro das passagens saem de seu bolso, ela deveria poder ter mais de um bilhete em seu nome.

Mas também teve quem não viu diferença com a nova regra. "Não vejo problema em apresentar um documento pra solicitar o cartão. Na prática, não vai mudar nada", disse a estudante Isabela Francisquini, 17. Também estudante, Naiara Camargo, 17, acha que não tem sentido pedir o documento no ato da compra, se, no bilhete, não vai marcar a identificação.

A reportagem visitou os terminais Bandeira, Parque Dom Pedro e Estação Mercado (no centro), além do terminal Vila Nova Cachoeirinha (zona norte) e constatou que o Bilhete Único anônimo estava em falta até quarta-feira (6). "Tinha acabado e ficou alguns dias sem, mas chegou uma nova remessa", explicou um atendente da SPTrans. A dona de casa Juliana Farias, 31, contou que sua mãe foi ao terminal Santana (zona norte) e também não encontrou o bilhete lá.

Dos quatro terminais, apenas no Parque Dom Pedro havia uma atendente fora dos guichês para esclarecer dúvidas. Nos demais era necessário ficar na fila.

Além do bilhete anônimo, há também o bilhete personalizado, com nome e foto do usuário, que é gratuito. Mas antes é necessário fazer o cadastro pelo site da SPTrans (bilheteunico.sptrans.com.br) e retirar o cartão em um dos postos. Diferente do anônimo, a recarga deste pode ser feita nos tipos comum, estudante, vale-transporte e mensal.

Se o usuário não conseguir anexar a foto 3x4 na hora do cadastro, ele pode levar a foto quando for a um dos postos retirar. As demais informações de como se cadastrar ou adquirir o Bilhete Único estão disponíveis no site, assim como a lista de onde estão localizados os postos de venda e atendimento.
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!