Floresta Azul Realiza evento em Comemoração ao dia da Consciência Negra.


Na noite do dia 20 de novembro foi realizado em Floresta Azul um evento em comemoração ao Dia da Consciência Negra, data de extrema importância aqui no Brasil, principalmente ao considerarmos nossa história e nossas raízes e é celebrado, oficialmente, em 20 de novembro. A data faz referência ao dia da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo de Palmares, que lutou para preservar o modo de vida dos africanos escravizados que conseguiam fugir da escravidão. Em 2011 a data passou a ser comemorada nacionalmente de acordo com a LEI 12.519 sancionada pela Presidente Dilma Rousseff em 10 de novembro de 2011, e de acordo com o texto da lei, no dia 20 de novembro será comemorado o Dia da Consciência Negra e de Zumbi dos Palmares. Trata-se de um feriado facultativo, pois, não se constitui feriado nacional, mas estadual e, em mais de mil cidades brasileiras já aderiram e representa a luta dos negros por seus direitos e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira. 
Em Floresta Azul a comemoração alusiva ao Dia da Consciência Negra ficou ao encargo da Gerência de Cultura em parceria com a Secretaria da Educação e Cultura e Desporto e apoio da Prefeitura Municipal. O evento contou com a presença da Secretária da Educação Thalita Silveira, do Vice-prefeito Reinato de Santana Amorim, dos Vereadores Daniela Vieira, Márcio Soares e José André Alves, dos Secretários Alexsandro Barreto (Assistência Social) e Thiago Wilker Silveira (Indústria e Comércio), da Coordenadora Pedagógica Geral Clébia Rosana Matos e da comunidade local. 
Com o objetivo de promover a reflexão e a discussão a respeito da inserção dapopulação negra na sociedade florestense durante o evento Gerente de Cultura Sara Regina Nunes Oliveira e os Coordenadores de Cultura Genivaldo Pereira e Cássio Damasceno realizaram a leitura do cerimonial que abordava a história da resistência negra, de suas conquistas e desafios, que eram um convite a reflexão a cerca da importância dos afrodescendentes na formação da nossa cultura e da própria nação, para que o preconceito racial que ainda existe possa ficar cada vez mais no passado pois, passados 300 anos da morte de Zumbí, os negros ainda sofrem com a falta de representatividade, discriminação, preconceito e desigualdade social. 
A noite teve como proposta favorecer o desenvolvimento da expressão corporal, oral e cultural dos munícipes florestenses, através de momentos de interpretação (monólogos e duetos), coreografias com grupos dança afro, músicas, Capoeira, poesias e a valorização estética negra, para a ampliação dos conhecimentos e formação de hábitos e atitudes fundamentais nos valores éticos, oportunizando-nos através de demonstrações culturais e de atividades teatrais e de interpretação conhecermos alguns aspectos importantes do contexto da escravidão negra, ressaltando os valores que impulsionaram e orientaram a sua vida e a formação da identidade negra florestense resgatando as raízes negras, com o objetivo de revitalizar os valores culturais afro-brasileiros da população. 
A programação teve início com as alunas do CEFA Paula Joana e Pátila para declamar uma poesia em seguida foi a vez de Mayla Guimarães com a participação de Luan Ferreira e Kelvin Brian cantar a música Olhos coloridos. A programação seguiu com a apresentação do Grupo de Capoeira Tribo Unida de Ibicaraí e Floresta Azul acompanhado do professor Palestino e do Contra Mestre Nego que contou ainda com a presença do mestre Moacir Grupo Cabula da Bahia do município Itapé. Logo após apresentou-se os representantes da Religião de Matrizes Africana e da Casa de Umbanda de Ogum Dilê da Babalorixá Eulina Maria da Silva (D. Ior) com a participação de Railda de Jesus Silva filha da Babalorixa Leonor Maria de Jesus (in Memoriun) e Mateus Salustriano e demais integrantes da Casa apresentando os Orixás Ogum, Nanã, Iansã e Oxum no sincretismo religioso. A beleza negra florestense foi representada pelos alunos Rayssa e Joahdicley da Escola Municipal João Alves de Macêdo num desfile emocionante. Logo após foi a vez do Grupo de Dança Afro com as participações de Alex Ribeiro, Juliana, Taismin, Roqueline, Sislane, Alex e José Rodrigues da Colégio Estadual Fred Gedeon que também trouxe as alunas Kaylane e Thifany para declamarem em dueto o poema “Vista Minha Pele”. 
A noite foi abrilhantada ainda mais com a presença do nosso artista local, Kelvin Brian fazendo um Pout Pourri com as músicas Faraó e Força e Pudor acompanhado por Iamon Nascimento, seguido pela apresentação da estudante do CEFA, Maria Eduarda que declamou uma poesia e logo após contamos com a participação do vereador José André Alves que realizou a leitura do poema “Se tu tens consciência” de Valter Alves da Silva. A programação prosseguiu com a participação especial da cantora florestense Luciana Pérola Negra fazendo um Pout Pourri com as músicas Ilê Pérola Negra e Força do Ilê acompanhada por Kelvin Brian e Iamon Nascimento. A programação foi encerrada com a apresentação do Grupo de Dança Africana da Escola Estadual Fred Gedeon composto pelos dançarinos Gabriel Krisso, Gabriel Nunes, Bruna Kauanna, Karen, Débora e participação especial de Maike Raissa.
Texto: Gerência de Cultura/ Fotos: Adenaldo JR
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!