Polícia Abre Sepulturas De Cemitério No Vaticano, Mas Não Esclarece Desaparecimento De Garota Há 36 Anos.


Uma busca da polícia italiana em um cemitério do Vaticano não conseguiu resolver um misterioso desaparecimento há 36 anos que tem causado grande especulação na mídia, que aguardava, com grande expectativa, a abertura das tumbas de duas princesas alemãs do século 19.


Na quinta-feira, a polícia italiana exumou os dois túmulos no cemitério Teutônico, tidos como possíveis peças-chaves para resolver o desaparecimento, em 1983, de uma menina de 15 anos chamada Emanuela Orlandi.


A família tinha recebido uma foto, enviada anonimamente, sugerindo que fosse realizada uma busca nestas tumbas. Após uma petição, o Vaticano autorizou que os túmulos, no pequeno cemitério localizado na área - hoje, escondida atrás dos altos muros à sombra da Basílica de São Pedro - em que ficava o circo nos tempos do imperador Nero, fossem examinados.


As sepulturas eram de duas nobres alemãs, a princesa Sophia von Hohenlohe, que morreu em 1836, e a princesa Carlota Federica, de Mecklenburg, que morreu em 1840.


Mas, para surpresa da polícia, os túmulos estavam vazios. Nem os restos mortais das duas mulheres supostamente enterradas ali foram encontrados.
Compartilhe no Google Plus

Sobre TRIBUNA DE IBICARAÍ

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Tribuna de Ibicaraí. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!